0

Oposição da Argélia mantém marcha apesar de promessas do governo

17 fev 2011
15h07
atualizado às 15h54

A oposição argelina está determinada a voltar a manifestar-se no próximo sábado, segundo líderes da oposição, apesar das promessas feitas pelo regime, e reiteradas pelo primeiro-ministro Ahmed Uyahia, de levantar o estado de emergência e de tomar medidas para responder às demandas dos argelinos.

12 de fevereiro - Manifestantes argelinos gritam slogans antigoverno durante proteasto na capital Argel
12 de fevereiro - Manifestantes argelinos gritam slogans antigoverno durante proteasto na capital Argel
Foto: Reuters

"A Argélia está em andamento para uma mudança. Nossa luta vai além do fim do estado de emergência", declarou à AFP Fodil Bumala, um membro fundador da Coordenação Nacional para a Mudança e a Democracia (CNCD).

"A próxima manifestação de sábado se prepara. Há menos medo", afirmou explicando que isso se deve à primeira marcha de Argel, em 12 de fevereiro, na participaram 2 mil pessoas que desafiaram a proibição e a mobilização de mais de 30 mil membros das forças de ordem.

Em Orã, importante cidade do oeste argelino, a CNDC anunciou uma nova manifestação para o próximo sábado. A Cooperação Nacional para a Mudança e a Democracia (CNCD), que agrupa a oposição e a sociedade civil, convocou a marcha pedir, entre outras coisas, a suspensão do estado de emergência, em vigor desde fevereiro de 1992 e uma "mudança de sistema".

O estado de emergência foi proclamado no começo de uma década de atos violentos islamitas que deixaram pelo menos 150 mil mortos. Na semana retrasada, o presidente Abdelaziz Bouteflika afirmou que o estado de emergência será levantado "em um futuro próximo".

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade