0

Militares saúdam os manifestantes no Egito

28 jan 2011
19h44
atualizado às 20h00

Soldados faziam sinais de vitória na noite desta sexta-feira dirigidos a milhares de manifestantes, que enfrentaram o toque de recolher imposto na capital egípcia e que, algumas horas antes, gritavam ainda a plenos pulmões: "o povo quer a queda do regime".

Manifestantes abraçam soldado egípcio em cima de tanque em raro momento de pacifismo nos enfrentamentos desta sexta
Manifestantes abraçam soldado egípcio em cima de tanque em raro momento de pacifismo nos enfrentamentos desta sexta
Foto: AP

Mais de duas horas após a imposição do toque de recolher pelo presidente egípcio Hosni Mubarak, caminhões militares circulavam no centro da cidade do Cairo, perto da praça da Ópera, e militares acenavam para a população, recebendo aplausos.

Alguns populares chegaram até a subir nos tanques e policiais apertavam as mãos de manifestantes, constatou a AFP .

"Não sabemos ainda de que lado está o exército (...) Mas é verdade que respeitamos os militares", acrescentou um outro jovem que participava de passeata com milhares de outros no bairro Dokki, duas horas após a imposição do toque de recolher às 18h (16h GMT).

Os prédios e locais públicos estavam pichados com frases contra o governo. O fim das orações de sexta-feira soou como o início de uma maratona contra o poder, com milhares de pessoas tomando de assalto as ruas, em meio ao aplausos dos passantes, para exigir a saída do presidente Hosni Mubarak, no poder há 30 anos.

"Liberdade!", gritavam manifestantes, sob o olhar espantado de policiais de escudo e capacete perto da célebre mesquita al-Azhar, no bairro histórico de Khan al-Khalili.

Um pouco antes, na mesma praça da Ópera, dezenas de manifestantes retornarvam sangrando do local, depois de choques com a polícia. Num jovem, com o torso nu, podia-se ver os sinais do impacto das balas de borracha.

A sede do Partido Nacional Democrata (PND no poder) no centro do Cairo foi incendiada, segundo um fotógrafo da AFP .



AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade
publicidade