0

Manifestantes atiram contra sede de Ministério no Egito

29 jan 2011
11h12
atualizado às 12h41

Um grupo de manifestantes atirou neste sábado contra a sede do Ministério do Interior do Egito, informaram à agência Efe fontes dos serviços de segurança.

Egípcios participam de manifestação contra o governo de Hosni Mubarak
Egípcios participam de manifestação contra o governo de Hosni Mubarak
Foto: AP

As fontes não puderam identificar os autores do ataque, mas disseram que o tiroteio, intenso em princípio, continuava esporadicamente por volta das 15h local (11h de Brasília).

Egípcios desafiam governo Mubarak
A onda de protestos dos egípcios contra o governo do presidente Hosni Mubarak, iniciados no dia 25 de janeiro, tomou nova dimensão na última sexta-feira. O governo havia tentado impedir a mobilização popular cortando o sinal da internet no país, mas a medida não surtiu efeito. No início do dia dia, dois mil egípcios participaram de uma oração com o líder oposicionista Mohama ElBaradei, que acabou sendo temporariamente detido e impedido de se manifestar.

Os protestos tomaram corpo, com dezenas de milhares de manifestantes saindo às ruas das principais cidades do país - Cairo, Alexandria e Suez. Mubarak enviou tanques às ruas e anunciou um toque de recolher, o qual acabou virtualmente ignorado pela população. Os confrontos com a polícia aumentaram, e a sede do governista Partido Nacional Democrático foi incendiada. O número de feridos passa de 800.

Já na madrugada de sábado (horário local), Mubarak fez um pronunciamento à nação no qual ele disse que não renunciaria, mas que um novo governo seria formado em busca de "reformas democráticas". Defendeu a repressão da polícia aos manifestantes e disse que existe uma linha muito tênue entre a liberdade e o caos. A declaração do líder egípcio foi seguida de um pronunciamento de Barack Obama, que pediu a Mubarak que fizesse valer sua promessa de democracia.

EFE   
publicidade