PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Oriente Médio

General sírio próximo à família Assad foge para a Turquia

5 jul 2012 - 17h13
(atualizado às 17h51)
Compartilhar

O general sírio Manaf Mustafa Tlass, comandante de uma brigada da Guarda Republicana e próximo à família do líder Bashar al-Assad, fugiu à Turquia, informaram nesta quinta-feira à EFE fontes do movimento rebelde sírio, o que representa um abalo significativo ao regime de Damasco. Tlass, que por enquanto não anunciou oficialmente sua deserção, é filho do ex-ministro de Defesa Mustafa Tlass, que ocupou o cargo entre 1972 e 2003 e é considerado um dos homens da velha guarda do falecido presidente Hafez al-Assad.

Destruição e abandono marcam as ruas de cidades atingidas pelos violentos confrontos entre forças do governo e rebeldes na Síria. Apesar da falta de segurança, a Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu manter seus observadores desarmados em missão de paz no país. Na foto, a cidade de Qusayr, perto de Homs, palco de graves confrontos nos últimos meses
Destruição e abandono marcam as ruas de cidades atingidas pelos violentos confrontos entre forças do governo e rebeldes na Síria. Apesar da falta de segurança, a Organização das Nações Unidas (ONU) decidiu manter seus observadores desarmados em missão de paz no país. Na foto, a cidade de Qusayr, perto de Homs, palco de graves confrontos nos últimos meses
Foto: AFP

Da Turquia, o número 2 do Exército Livre Sírio (ELS), Malek al-Kurdi, disse por telefone à EFE que Tlass chegou nesta quarta-feira à noite e pretendia comparecer nas próximas horas ao quartel onde a cúpula rebelde síria tem na Turquia. "Esta deserção significa que o regime está em uma situação de desmoronamento e representa um giro importante no andamento da revolução e abre as portas a maiores deserções", destacou Kurdi.

Já o site de notícias Syriasteps, citando uma fonte de segurança de alto nível, assinalou que a fuga de Tlass ocorreu porque o general teria descoberto que os serviços de inteligência possuíam informações sobre seus contatos no exterior e sua supervisão de operações terroristas dentro da Síria. A fonte acrescentou que Tlass era vigiado pelos serviços secretos sírios e tinha se retirado há um ano de suas funções como comandante da brigada 105 da Guarda Republicana - corpo de elite do Exército sírio comandado por Maher al Assad, irmão mais novo do presidente Bashar al Assad (o grupo é acusado de realizar as maiores operações de repressão contra a oposição).

Há três dias, 85 soldados do Exército sírio, entre eles um general e 14 militares de alta patente, chegaram à Turquia acompanhados de suas famílias através da passagem fronteiriça de Reyhanli.

EFE   
Compartilhar
Publicidade