9 eventos ao vivo

Crise gerada pela fome no mundo piora, alerta Oxfam

31 mai 2011
10h14
atualizado às 10h25

O preço dos alimentos pode dobrar nos próximos 20 anos e a demanda em 2050 será 70 por cento maior que a atual, disse a organização de caridade britânica Oxfam nesta terça-feira, alertando sobre a piora da fome à medida que a economia global de alimentos se aproxima do colapso.

"O sistema de alimentos está quase falido no mundo", disse a executiva-chefe da Oxfam, Barbara Stocking, aos repórteres, anunciando o lançamento de campanha Cresça no momento em que 925 milhões de pessoas passam fome todos os dias.

"Todos os sinais são de que o número de pessoas passando fome está crescendo", afirmou Stocking.

A fome tem aumentado por conta da crescente inflação no preço dos alimentos e nos picos de preços do petróleo, disputas por terra e água e uma ameaçadora mudança climática.

Prevê-se que o preço dos alimentos aumente em torno de 70 a 90 por cento até 2030 antes de se levar em conta os efeitos da mudança climática, que deve quase dobrar os preços novamente, declarou a Oxfam.

"Agora entramos em uma era de crise crescente, de choque em cima de choque: aumentos vertiginosos nos preços dos alimentos e picos de preços do petróleo, eventos climáticos devastadores, derretimentos financeiros e contágio global", disse a entidade em um relatório.

Intitulado "Cultivando um Futuro Melhor: Justiça Alimentar em um Mundo de Recursos Limitados", o relatório afirma: "A escala do desafio não tem precedentes, e também o prêmio: um futuro sustentável no qual todos tenham o suficiente para comer."

A Oxfam acredita que uma maneira de domar a inflação no preço dos alimentos é limitar a especulação nos mercados futuros de commodities de agricultura, e negou apoio ao uso de alimentos como matéria-prima para biocombustíveis.

"A especulação financeira deve ser regulamentada, e o apoio aos biocombustíveis que substituem alimentos deve ser desmantelado."

Stocking disse concordar que reguladores introduzam limites de posição nos mercados futuros de commodities de agricultura, sublinhando que a especulação financeira agrava a volatilidade dos preços.

O relatório diz: "O vasto desequilíbrio no investimento público na agricultura deve ser corrigido, redirecionando os bilhões atualmente investidos em fazendas industriais não-sustentáveis em países ricos para as necessidades de produtores de alimentos de pequena escala em países em desenvolvimento."

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade