2 eventos ao vivo

Câncer tira Steve Jobs da direção da Apple

O lendário fundador da Apple, Steve Jobs, deixou seu cargo de presidente-executivo da empresa nesta quarta-feira, informou a companhia, em uma decisão esperada depois que ele iniciou uma dramática luta contra um câncer.

25 ago 2011
00h29

WASHINGTON, 24 Ago 2011 (AFP) -O lendário fundador da Apple, Steve Jobs, deixou seu cargo de presidente-executivo da empresa nesta quarta-feira, informou a companhia, em uma decisão esperada depois que ele iniciou uma dramática luta contra um câncer.

No mesmo comunicado, a Apple anunciou que o diretor de vendas e operações, Tim Cook, será o novo CEO, mas que Jobs continuará como presidente do conselho de administração da companhia.

"Sempre disse que quando chegasse o dia em que eu não pudesse mais cumprir com meus deveres e com as expectativas como diretor de Apple eu seria o primeiro a me manifestar", escreveu Jobs em uma carta ao conselho de administração.

"Assim sendo, peço minha demissão como diretor-general da Apple", concluiu.

Art Levinson, membro do conselho da empresa, disse em um comunicado que "a extraordinária visão e liderança de Steve salvou a Apple e a guiou para sua posição de empresa de tecnologia mais inovadora e valiosa do mundo".

"Steve trouxe inumeráveis contribuições ao êxito da Apple e atraiu e inspirou empregados imensamente criativos e uma equipe de direção de nível mundial", afirmou Levinson.

Após o anúncio, as ações da empresa - que haviam operado em alta durante o pregão de Nova York - passaram a recuar no after-market. Às 23h45 GMT (20h45 de Brasília), o papel recuava 5,3%, cotado a 356,1 dólares, após encerrar o dia em alta de 0,7%, a 376,18 dólares.

O valor de mercado da criadora do iPhone e do iPad está atualmente em 346 bilhões de dólares, sendo que a companhia chegou a ocupar o posto de mais valiosa do mundo no início do mês de agosto, ao superar a gigante do petróleo ExxonMobil na Bolsa de Nova York, mas em seguida voltou para a segunda posição.

Jobs, de 56 anos, encontrava-se sob licença desde janeiro. O executivo realizou um transplante de fígado há dois anos e sobreviveu a um câncer no pâncreas em 2004.

"Creio que os dias mais brilhantes e mais inovadores da Apple estão por chegar. E espero com impaciência observar e contribuir para este êxito através de um novo papel", disse Jobs em sua carta.

De acordo com Levinson, o conselho tem total confiança de que Jobs será muito bem substituído por Tim, que trabalha na Apple há 13 anos, como o próximo CEO da empresa.

"Temos a plena convicção de que Tim é a pessoa mais indicada para o cargo no momento".

Jobs fundou a Apple em 1976, aos 21 anos, junto de Steve Wozniak, na garagem da casa de seus pais.

Sob seu comando, a empresa introduziu os primeiros computadores Apple e mais tarde o Macintosh, que ficou muito popular na década de 1980.

Entre as inovações da Apple está o "mouse", criado para facilitar aos usuários a ativação de programas e a abertura de arquivos.

Casado em 1991, em uma cerimônia presidida por um monge budista, Jobs tem três filhos com a esposa, e uma filha com uma mulher que conheceu antes do matrimônio.

tlb/wm/lr

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade