inclusão de arquivo javascript

Crise econômica no mundo ajudou a melhorar imagem do Brasil | Brazil no radar
Crise econômica no mundo ajudou a melhorar imagem do Brasil | Brazil no radar

Brazil no radar

Crise econômica no mundo ajudou a melhorar imagem do Brasil

0 Comentário

A manutenção da estabilidade econômica e política no Brasil desde 2008, quando a crise financeira global atingiu fortemente a Europa e os Estados Unidos, ajudou a melhorar a cobertura da imprensa internacional sobre o país. Isso poderia ser percebido de forma indireta pela leitura de publicações de outros países, mas foi confirmado pela pesquisadora belga Kirsten Noben, que finalizou no ano passado um mestrado sobre a forma como a mídia britânica retratava o Brasil.

“Cada vez mais, o status de uma nova potência econômica mundial foi atribuído ao Brasil e, simultaneamente, o país se distanciou da imagem de um país pobre e violento com praias tropicais”, disse Noben, em entrevista ao blog Brazil no Radar. Segundo ela, é perceptível que as publicações inglesas tentam se aprofundar e fugir de estereótipos nas reportagens que mencionam o Brasil. 

Leia também: Vigésimo país mais conhecido do mundo, Brasil é visto como ‘decorativo, mas não útil’, segundo pesquisa global

Noben passou um ano morando em natal, no Brasil, entre 2006 e 2007, como intercambista. Sua dissertação de mestrado pelo programa “Brasil na Perspectiva Global“, pelo Brazil Institute do King’s College de Londres, tentou descobrir qual era a percepção do Brasil no Reino Unido e como ele foi retratado nos meios de comunicação britânicos recentemente. “Partindo de um interesse pessoal, gostaria de saber de que forma a visão sobre o Brasil evoluiu nos últimos anos. Portanto, analisei artigos que apareceram nos jornais The Guardian, The Financial Times, The Independent, The Times e The Economist”, explicou. 

Leia abaixo a entrevista

Pergunta – Seu trabalho foi capaz de avaliar a cobertura do impacto da crise financeira global no Brasil. O que você descobriu?

Kirsten Noben - Por volta da época da crise financeira global no Ocidente [a partir de 2008], o Brasil estava desfrutando de uma onda de confiança e continuou a crescer por causa dessa sensação de ‘bem estar’. Enquanto a Europa foi (ou ainda está) experimentando instabilidade financeira, o Brasil, ao contrário, parecia florescer. Esta evolução foi coberta várias vezes na imprensa britânica. 

Cada vez mais, o status de uma nova potência econômica mundial foi atribuído ao Brasil e, simultaneamente, o país se distanciou da imagem de um país pobre e violento com praias tropicais. 

No entanto, para os países ocidentais continua a ser difícil reconhecer os países da América Latina como nova potência e continua havendo a crítica sobre os problemas internos Brasil. 

Além disso, foi interessante que, durante o auge da crise econômica, a presidente Dilma propôs dar apoio financeiro para a União Europeia. Ao tomar uma posição dominante, o Brasil assumiu claramente seu novo papel de potência global. Eu acho que pode-se definir isso como um ato simbólico, já que não houve registro de que o apoio financeiro foi realmente dado.

 

Pergunta – Como o Brasil é retratado na cobertura da mídia britânica?

Kirsten Noben  - Brasil tem sido retratado muitas vezes como uma terra de contrastes. Por um lado, as imagens estereotipadas de praia, sol e carnaval são frequentemente exploradas; esse tipo de imagem divina de um paraíso sensual. Esta percepção de alguma forma sempre foi dominante na imprensa britânica. Por outro lado, tem havido uma grande presença de cobertura negativa dos problemas como a violência, a desigualdade e a corrupção. Isso foi estimulado também por filmes brasileiros populares, como Cidade de Deus, que se tornou um enorme sucesso no exterior. 

Hoje em dia, a imprensa do Reino Unido também abrange, principalmente, os preparativos para a Copa do Mundo de futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016, que definitivamente dão um impulso positivo para a imagem do Brasil.

 

Pergunta – Em uma pesquisa Top of Mind feita em diferentes países do mundo, o Brasil era geralmente visto como um país que é “decorativo, mas não exatamente útil”. Percebe-se algo assim na cobertura da mídia no Reino Unido?

Kirsten Noben  - O Brasil era apenas visto como um destino tropical. Um país amigável, aberto, que é famoso por suas belas praias e que atrai muito turismo. Todo ano, a celebração do carnaval recebe cobertura bastante extensa também. No entanto, podemos ver que isso começa a mudar. Entretanto, o Brasil está emergindo no cenário internacional como uma nova potência global e vai receber dois dos maiores eventos esportivos nos próximos anos. 

O crescimento econômico tem sido acompanhado de perto, mais especificamente pelo jornal The Financial Times e pela revista The Economist. Estes dois também deram uma cobertura detalhada das eleições presidenciais de 2006 e 2010. Em geral, são publicadas informações detalhadas e bem pesquisadas sobre o Brasil na imprensa. Cada vez mais ao longo dos anos, é perceptível que os artigos se esforçam para relatar o que está além dos estereótipos. 

 

Pergunta – Os brasileiros estão animados com a ideia de que o país está se tornando mais importante internacionalmente. Eles estão certos nesta ideia de que o país está se tornando mais relevante?

Kirsten Noben  - Eu diria que o Brasil está de fato sendo valorizado cada vez mais como um país importante. Em alguns artigos que eu encontrei, os jornalistas ainda criticavam a Grã-Bretanha por ter sido particularmente lenta em reconhecer a crescente importância do Brasil no cenário global. 

Além disso, por causa do enorme sucesso dos Jogos Olímpicos em Londres, a imprensa no Reino Unido definitivamente se concentrou mais na cobertura sobre os preparativos para as Olimpíadas no Rio. Acredito que os britânicos estão ansiosos para ver como o Brasil vai lidar com a situação, pois agora eles podem compará-lo com algo que eles experimentaram de um ponto de vista próximo.

 

Pergunta – O que você mudou na sua opinião pessoal sobre o Brasil enquanto estudava no King’s Collegei?

Kirsten Noben  - Eu tenho uma relação próxima com o Brasil pois morei no país entre 2006 e 2007 como estudante de intercâmbio. Esta experiência ainda define a pessoa quem me tornei hoje. Através da pesquisa no King’s College, aprendi mais sobre o Brasil do ponto de vista acadêmico. No Instituto Brasil, os estudantes têm uma visão profunda da história política, dos problemas atuais de ecologia e até mesmo um curso de cinema que explora a ligação entre a sociedade brasileira e o cinema. Por este caminho acadêmico, aprofundei o meu conhecimento sobre a história do Brasil, sua política e economia. Eu não seria necessariamente dizer a minha opinião e sentimentos mudaram, mas certamente me fez tomar consciência e compreender algumas coisas mais do que antes.

Assista a uma entrevista de Kirsten Noben ao Terra TV

Por

Daniel Buarque Daniel Buarque

Daniel Buarque

Editor-Executivo de Conteúdo do Terra, é autor de "Brazil, um País do presente - A imagem internacional do 'País do futuro'" (Alameda). Publicou também os livros "Comendo a Grande Maçã" e "Por um fio"



compartilhe e assine o blog




Sorry, your browser does not handle frames!<a href="http://www.terra.com.br/"> terra </a>

 
 
Leia também X 'Avançamos muito', diz jornal inglês. 'Na última vez, o brasileiro assediado foi morto a tiros'