0

Tufão Haikui força 1,2 milhão de pessoas a deixarem casas na China

8 ago 2012
01h25
atualizado às 02h14

O tufão Haikui tocou a terra na madrugada desta quarta-feira no leste da China, onde cerca de 1,2 milhão de pessoas já deixaram suas casas como medida de segurança.

Haikui é o terceiro tufão a castigar o leste da China na última semana
Haikui é o terceiro tufão a castigar o leste da China na última semana
Foto: Reuters

Só em Xangai, cidade que tem 23 milhões de habitantes, foram transferidas a diferentes abrigos, em estádios e escolas, mais de 374 mil pessoas.

Haikui, que poderá ser o primeiro tufão a atingir consideravelmente a capital econômica do país desde 2005, também forçou a retirada de mais de 467 mil pessoas na província de Zhejiang e de 74 mil em Jiangsu.

O tufão, com fortes chuvas e ventos de até 150 km/h, entrou no litoral chinês pela aldeia de Hepu, na província oriental de Zhejiang, às 3h20 locais (16h20 de Brasília), e sua chegada já começou a causar inundações.

Pelo menos 6.327 embarcações ficaram ancoradas no porto mercante da cidade, o mais movimentado do planeta, perante o estado do Mar da China Oriental, onde devem ser registradas ondas de até nove metros.

"Xangai se livrou de dúzias de tufões nos últimos anos, mas esse poderá ser o primeiro a representar um desafio real desde 2005", alertou o vice-prefeito de Gestão e Planejamento Urbano, Shen Jun.

Diante dessa perspectiva, a cidade cancelou todas as atividades organizadas ao ar livre, fechou todos seus parques, suspendeu as aulas nos centros educacionais e proibiu qualquer tipo de obras ao ar livre, informa o diário Shanghai Daily.

Pelo menos 237 voos foram cancelados nesta terça-feira nos dois aeroportos comerciais da metrópole, e as companhias aéreas locais preveem que o mesmo aconteça nesta quarta, sobretudo em voos regionais rumo às cidades do sudeste do país.

Haikui é o terceiro tufão a castigar o leste da China na última semana, após a passagem de Saola e Damrey, que deixaram 23 mortos e nove desaparecidos, número que se soma aos 13 mortos e três desaparecidos causados pelas chuvas do fim de semana na província central de Hubei.

EFE   
publicidade