1 evento ao vivo

Terremoto mata 157 pessoas na China; fere 5.700

20 abr 2013
17h19
atualizado às 17h32

O pior terremoto na China em três anos matou pelo menos 157 pessoas e feriu mais de 5.700 neste sábado, disse o Ministério de Assuntos Civis do país.

Socorristas tentam remover pedras bloqueando estrada depois de forte terremoto no condado de Lushan, na China.
Socorristas tentam remover pedras bloqueando estrada depois de forte terremoto no condado de Lushan, na China.
Foto: Stringer / Reuters

O tremor de magnitude 6,6 atingiu uma remota, rural e montanhosa região na província de Sichuan, na China perto de onde um grande terremoto deixou mais de 70 mil mortos em 2008.

O terremoto ocorreu às 8h02 pelo horário local (21h02 de sexta-feira em Brasília) no condado de Lushan, perto da cidade de Ya'an. O epicentro teve uma profundidade de 12 quilômetros, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

O terremoto foi sentido por residentes das províncias vizinhas e na capital de Sichuan, Chengdu, fazendo muitas pessoas correrem para as ruas, de acordo com relatos do serviço de rede social Sina Weibo, equivalente ao Twitter.

A maior parte das mortes ficou concentrada em Lushan. Fotos em sites de notícias chineses mostravam prédios sem cobertura e pessoas com curativos ensanguentados sendo tratadas em tendas fora do hospital. O fornecimento de água e eletricidade foi interrompido na região devido ao terremoto.

O presidente do país, Xi Jinping, e o premiê, Li Keqiang, disseram que todos os esforços devem ser destacados para resgatar as vítimas e limitar o número de mortos.

De acordo com a agência de notícias Xinhua, depois de chegar à zona do desastre por helicóptero, Li comandou os esforços de ajuda em uma praça no distrito municipal de Longmen, em Lushan.

"As primeiras 72 horas são preciosas para o resgate", disse Li a autoridades, segundo a agência de notícias Xinhua.

Equipes de resgate de Lushan retiraram 91 sobreviventes dos escombros, informou a Xinhua. Em vilarejos próximos ao epicentro, quase todas as casas baixas e edifícios desabaram, de acordo com imagens mostradas na televisão estatal.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade