0

Talibãs atacam prisão no Paquistão e 243 escapam

30 jul 2013
00h34

Um grupo de 243 detentos, incluindo dezenas de combatentes islâmicos, fugiu na madrugada desta terça-feira de uma prisão no noroeste do Paquistão, atacada por talibãs paquistaneses do TTP, informaram as autoridades.

"No total, 243 prisioneiros escaparam. A polícia conseguiu capturar apenas seis", disse um alto funcionário paquistanês, Mushtaq Jadoon, ao canal de televisão Ary News.

Segundo Jadoon, entre os fugitivos há 30 combatentes islâmicos.

O ataque ocorreu na prisão central de Dera Ismail Khan, cidade da província de Khyber Pakhtunkhwa, situada próxima ao Waziristão do Sul, zona tribal semi-autônoma que serve de refúgio para os talibãs e outros grupos ligados à rede terrorista Al-Qaeda.

Vestidos com uniforme da polícia local, os talibãs atacaram a prisão com foguetes, morteiros e armas automáticas para libertar os rebeldes detidos.

A ação "destruiu um veículo blindado da polícia estacionado diante da entrada principal da prisão", matando dois policiais, destacou Jadoon.

Após o ataque com foguetes e disparos de morteiro, houve uma troca de tiros, com armas automáticas, entre as forças da ordem e os agressores, revelou Jadoon.

O Exército enviou reforços para reprimir o ataque, disse à AFP Shaukat Yousafzaï, porta-voz do governo de Khyber Pakhtunkhwa, que colocou Dera Ismail Khan sob a lei marcial.

O ataque foi reivindicado por Shahidullah Shahid, porta-voz do TTP, grupo islâmico que luta há seis anos contra o poder em Islamabad, que acusa de ser pró-americano.

"Um grupo de 150 talibãs, incluindo 60 suicidas, atacou a prisão central para libertar 300 prisioneiros", disse Shahid em telefonema à AFP.

A prisão central de Dera Ismaïl Khan abriga cerca de 5 mil detentos, incluindo 300 rebeldes detidos por atacar as forças de segurança ou a minoria muçulmana xiita, segundo o chefe da polícia local.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade