publicidade
23 de março de 2013 • 00h49 • atualizado às 05h59

Tailândia: sobe para 62 os mortos em incêndio em campo de refugiados

Policiais inspecionam local do incêndio que deixou pelo menos 62 mortos
Foto: EFE
 

Pelo menos 62 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas após um incêndio atingir um campo de refugiados que acolhia birmaneses da etnia karen no norte da Tailândia, informaram neste sábado fontes oficiais. A maior parte das vítimas são crianças, mulheres e idosos que não conseguiram escapar das chamas.

As equipes de resgate encontraram os corpos carbonizados entre os escombros das cabanas queimadas e não descartam que o número de mortos possa aumentar, indicou o chefe do Escritório de Saúde Pública de Mae Hong Song, Paisarn Thanyawinitchakul, segundo a edição digital do jornal Bangcoc Post.

Os feridos foram transferidos a centros médicos e ambulatórios da região e pelo menos quatro apresentam ferimentos muito graves, de acordo com o escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) na Tailândia.

As chamas surgiram na tarde de sexta-feira no centro Mae Surin, um dos três campos de refugiados na província de Mae Hong Song e onde viviam 3,5 mil pessoas. O coronel Nitinart Witthayawuthikul, da polícia local, informou aos jornalistas que o fogo destruiu 200 dos 281 alojamentos construídos com madeira, bambu e folhas que havia no local.

Cerca de 140 mil birmaneses vivem nos campos de refugiados localizados em solo tailandês e próximos à fronteira com Mianmar, alguns deles há cerca de 30 anos. O Conselho Nacional de Segurança da Tailândia anunciou em setembro passado que analisa alguns planos para repatriar os refugiados, uma medida que já acabou adiada em outras oportunidades.

EFE EFE - Agencia EFE - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia EFE S/A.