Ásia

publicidade
23 de janeiro de 2013 • 01h40 • atualizado às 01h55

Seul comemora aumento de sanções da ONU à C. do Norte

 

A Coreia do Sul celebrou nesta quarta-feira a resolução do Conselho de Segurança da ONU que condena o recente lançamento de um foguete de longo alcance por parte da Coreia do Norte e amplia as sanções já impostas anteriormente ao país comunista.

O governo sul-coreano, que desde o lançamento do foguete pressionara o Conselho de Segurança a responder com firmeza ao que considera um teste de mísseis da Coreia do Norte, destacou, no entanto, sua preocupação com um possível novo teste nuclear do regime de Kim Jong-un.

"É muito lamentável" que isso possa ocorrer, declarou à imprensa em Seul a porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, que instou o país vizinho a "não promover mais provocações e trabalhar duro com ações específicas para alcançar a desnuclearização".

A Coreia do Norte rejeitou nesta quarta-feira a retomada das negociações sobre seu processo de desnuclearização depois que o Conselho de Segurança da ONU aprovou novas sanções contra o país.

Em comunicado divulgado atrás da imprensa estatal pelo Ministério das Relações Exteriores norte-coreano, o regime de Kim Jong-un advertiu que promoverá "ações para fortalecer a capacidade de defesa militar, incluindo a dissuasão nuclear".

Essa declaração de intenções renovou na Coreia do Sul o temor de um novo teste atômico do regime comunista, que já realizou dois, em 2006 e 2009.

As conversas de seis lados para pôr fim ao programa nuclear norte-coreano se encontram estagnadas desde 2008, embora seus integrantes - as duas Coreias, EUA, China, Japão e Rússia - tenham conseguido uma aproximação nos últimos anos para retomar o processo.

A Coreia do Norte conseguiu pôr em órbita um satélite espacial através de um foguete de longo alcance em 12 de dezembro, ação que foi recebida pela comunidade internacional com uma condenação generalizada por considerá-la um teste encoberto de mísseis.

EFE EFE - Agencia EFE - Todos os direitos reservados. Está proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia EFE S/A.