2 eventos ao vivo

Número de mortos por terremoto e tsunami no Japão chega a 90

11 mar 2011
07h03
atualizado às 11h16

O forte terremoto de magnitude 8,9 que atingiu a costa do Japão nesta sexta-feira, seguido por um enorme tsunami, causou a morte de pelo menos 90 pessoas. Há, no entanto, informações de que entre 200 e 300 corpos foram encontrados em uma praia da cidade Sendai. Essas vítimas ainda não entraram na contagem oficial.

Tsunami se aproxima da cidade de Natori, na prefeitura de Miyagi, no nordeste do Japão
Tsunami se aproxima da cidade de Natori, na prefeitura de Miyagi, no nordeste do Japão
Foto: Reuters

De acordo com o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS), o tremor ocorreu às 14h46 (02h46 de Brasília). A agência de meteorologia japonesa, por sua vez, afirmou que o terremoto aconteceu a pouco mais de 100 km da costa nordeste da ilha de Honshu, e foi o mais violento a atingir o país.

O USGS, por sua vez, indicou que o tremor foi o sétimo pior da história mundial. A agência japonesa e o instituto americano, entretanto, divergem quanto à magnitude e profundidade do sismo: enquanto o USGS reportou um terremoto de magnitude 8,9 a 24,4 km de profundidade, a agência de meteorologia indicou magnitude 8,8 e cerca de 10 km de profundidade.

"Um terremoto desta magnitude tem o potencial de gerar um tsunami devastador, capaz de atingir a costa próxima em poucos minutos e regiões mais afastadas em questão de horas", indicou o USGS em um comunicado.

As vítimas do desastre incluem um homem de 67 anos, esmagado por uma parede, e uma idosa, atingida pelo teto da própria casa, que desabou, ambos na região de Tóquio. Outras três pessoas morreram soterradas dentro de casa em Ibaraki, a nordeste da capital.

A polícia de Iwate, perto do epicentro, confirmou a morte de pelo menos 10 habitantes. A Agência Nacional de Polícia, entretanto, afirmou que ainda não é capaz de confirmar o balanço de mortos. "Os danos foram tão grandes que ainda levará muito tempo até que consigamos reunir todas as informações", indicou um porta-voz do órgão.

Na capital Tóquio, cerca de quatro milhões de pessoas estão sem eletricidade, e a zona portuária foi inundada. O governo faz o melhor que pode para coordenar as operações de resgate, "levando em consideração que o terremoto pode ter causado danos gigantescos", declarou à imprensa o porta-voz Yukio Edano.

As autoridades enviaram aviões e navios para a costa de Miyagi, área mais atingida pela catástrofe, segundo veículos locais. O tsunami, cujas ondas atingiram 10 metros de altura, arrasou a costa de Sendai, no nordeste do país. O aeroporto da região de Miyagi (cuja capital é Sendai), teve a pista inundada.

O parque temático da Disney, localizado em Chiba, a alguns quilômetros de Tóquio, também foi atingido pelas ondas gigantes. Um gigantesco incêndio foi provocado na refinaria da cidade de Iichihara, na região de Tóquio, segundo imagens da televisão local.

O primeiro-ministro, Naoto Kan, garantiu que o terremoto não provocou vazamentos radioativos nas centrais nucleares do país. "O tremor foi tão forte que precisamos nos agarrar ao que podíamos para não cair", contou um funcionário de Kurihara, cidade duramente afetada pelo sismo, na região de Kurihara.

"Não podíamos fugir, porque os tremores continuavam", acrescentou esta fonte, que falou por telefone à AFP. O USGS alertou para o risco de novos tsunamis em quase todo o Oceano Pacífico, da Austrália à América do Sul e Central. O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico, por sua vez, incluiu em seu alerta o Estado americano do Havaí, Austrália, Nova Zelândia e toda a costa sul e centro-americana no Oceano Pacífico.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade