1 evento ao vivo

Ministro diz que avanço militar chinês não ameaça o mundo

27 nov 2012
08h43
atualizado às 11h12
  • separator

O desenvolvimento do Exército da China não representa nenhuma ameaça para o mundo, afirmou o ministro da Defesa chinês, Liang Guanglie, nesta terça-feira, em um esforço para acalmar os temores entre os vizinhos asiáticos em meio a prolongadas disputas marítimas.

Imagem mostra o porta-aviões chinês Liaoning durante testes em maio de 2012
Imagem mostra o porta-aviões chinês Liaoning durante testes em maio de 2012
Foto: AP

Estados Unidos, Japão e muitos outros países do Sudeste Asiático têm expressado com frequência preocupações com o aumento de dois dígitos nos gastos da China com Defesa e com a expansão de alcance naval, alegando que os planos de Pequim não são transparentes.

"Não há absolutamente nenhuma necessidade disso", disse Liang à Reuters, quando questionado sobre as preocupações dos países vizinhos. "O Exército chinês precisa desenvolver-se, mas não há nenhuma 'preocupação' ou 'medo' como dizem os estrangeiros", disse, antes de uma reunião com o Secretário da Marinha americana, Ray Mabus, que está de visita no país. "A China não se trata disso".

A crescente influência militar da China coincidiu com um tom diplomático mais assertivo, evidente em disputas com o Japão e o Sudeste Asiático, com relação a ilhas disputadas. A China também disse aos Estados Unidos, que voltaram o foco de sua política externa para a Ásia, para não se envolverem.

Falando no Ministério da Defesa chinês, Liang ressaltou a necessidade de cooperação entre os governos chinês e americano, que pediu à China para que compartilhasse mais sobre suas ambições militares. "Nós devemos desenvolver laços entre nós, entre nossos dois Exércitos, tocar em algumas de nossas diferenças, resolver pontos de vista conflitantes", disse Liang antes de se encontrar com Mabus.

O Exército chinês realizou testes de voos com seus primeiros caças furtivos e inaugurou seu primeiro porta-aviões, que foi comprado da Ucrânia e reformado. Este mês, revelou um novo helicóptero de combate. A China também tem aumentado sua presença nos mares do Sul e do Leste da China este ano, reafirmando sua soberania sobre ilhas ou águas que também são contestadas pelas Filipinas, Vietnã, Malásia, Japão e outros.

Veja também:

'Estamos nos humilhando para viver': as cenas da luta por oxigênio em Manaus
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade