PUBLICIDADE

Karzai exige que Otan pare com suas operações no Afeganistão

12 mar 2011 06h27
| atualizado às 09h13
Publicidade

O presidente afegão Hamid Karzai exigiu neste sábado que a Otan interrompa suas operações no país, durante um discurso na província de Kunar (leste), onde a Aliança Atlântica foi acusada de ter matado recentemente dezenas de civis.

Soldados descansam com cães farejadores de bombas no acampamento Huskers, em Helmand. Em janeiro, representantes de mais de 60 países se reuniram na Conferência de Londres sobre o Afeganistão para debater o futuro do país asiático. Os talibãs disseram que a reunião era uma "tentativa de engano" dos líderes "promotores de guerras", e pediram a retirada das tropas estrangeiras para conseguir a paz no país. Durante o mês, 43 militares estrangeiros morreram no Afeganistão
Soldados descansam com cães farejadores de bombas no acampamento Huskers, em Helmand. Em janeiro, representantes de mais de 60 países se reuniram na Conferência de Londres sobre o Afeganistão para debater o futuro do país asiático. Os talibãs disseram que a reunião era uma "tentativa de engano" dos líderes "promotores de guerras", e pediram a retirada das tropas estrangeiras para conseguir a paz no país. Durante o mês, 43 militares estrangeiros morreram no Afeganistão
Foto: AFP

"Gostaria de pedir à Otan e aos Estados Unidos com honradez, humildade e sem arrogância que parem com suas operações em nossa terra", afirmou. Em aparente referência às áreas de fronteira com o Paquistão, onde os insurgentes se escondem, Karzai acrescentou: "Se essa é uma guerra contra terroristas e o terrorismo internacional, então eles deveriam ir lutar essa guerra onde indicamos que estão nos últimos nove anos". "Somos um povo muito tolerante, mas nossa tolerância esgotou", concluiu.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade