3 eventos ao vivo

Japão mobiliza destróieres antes de lançamento norte-coreano

7 abr 2012
04h48
atualizado às 05h28

Três destróieres japoneses zarparam neste sábado de diferentes bases japonesas rumo a Okinawa (sul), onde permanecerão em alerta perante o lançamento, na próxima semana, de um satélite norte-coreano que sobrevoará a região. Um destróier um americano também seguiu os japoneses.

As quatro embarcações são equipadas com sistemas de intercepção de mísseis Aegis. O desdobramento ocorre pelo fato de a Coreia do Norte ter anunciado que planeja lançar o satélite Kwangmyongsong 3 mediante um projétil de longo alcance entre os dias 12 e 16 de abril, e depois de o Ministério da Defesa japonês ter ordenado às Forças Armadas do país que o destruam se ameaçar cair sobre seu território.

As Forças de Autodefesa também instalaram mísseis terra-ar Patriot Advanced Capability-3 nas ilhas de Miyako e Ishigaki, que devem ser sobrevoadas pelo foguete, e nas localidades de Naha e Nanjo, na ilha principal de Okinawa, além de terem transferido cerca de 800 soldados a estes quatro pontos.

O Japão também desdobrou o mesmo sistema de mísseis terra-ar nas bases de Ichigaya, Narashino e Asaka, na área de Tóquio. O Executivo japonês acredita que a possibilidade de fragmentos do foguete caírem sobre o arquipélago é pequena, mas mesmo assim decidiu manter-se em alerta nas datas previstas para o lançamento.

O Japão e outros países, como Estados Unidos e Coreia do Sul, condenaram os planos de Pyongyang por considerar que na realidade encobrem o teste de um míssil balístico, o que suporia a violação de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Por outro lado, a Coreia do Norte diz que o lançamento tem fins científicos, e por isso convidou analistas e jornalistas estrangeiros a presenciarem o teste para que verifiquem sua natureza pacífica.

Três destróieres japoneses zarparam neste sábado de diferentes bases japonesas rumo a Okinawa
Três destróieres japoneses zarparam neste sábado de diferentes bases japonesas rumo a Okinawa
Foto: AP
EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade