PUBLICIDADE

Índia prende mais de 300 pessoas por passar cola em prova

Penduradas em janelas de prédios em que as avaliações eram aplicadas, pessoas tentavam supostamente passar papéis com as respostas ou dizê-las em voz alta aos alunos

21 mar 2015 10h17
| atualizado às 12h47
ver comentários
Publicidade
Indianos escalam prédio em que estudantes fazem uma prova em Hajipur, no leste do estado de Bihar
Indianos escalam prédio em que estudantes fazem uma prova em Hajipur, no leste do estado de Bihar
Foto: Press Trust of India / AP

Mais de 300 pessoas, entre estudantes, familiares e amigos, foram detidas no estado indiano de Bihar por supostamente ter copiado ou ajudado os alunos a colar de forma maciça em provas, informou neste sábado à Agência Efe uma fonte policial.

"Contabilizamos pelo menos 300, mas são muitos mais, porque seguimos recebendo mais dados de detidos em outros distritos do estado", disse o diretor-geral adjunto da Polícia desta região nortista, Gupteshwar Pandey.

O porta-voz policial manifestou que os detidos, muitos deles pais dos estudantes, foram transferidos a delegacias para ser interrogados.

Meios de comunicação locais divulgaram nesta semana fotografias e vídeos com um grande número de pessoas penduradas em janelas, inclusive em altos andares, em edifícios onde eram realizados os conhecidos exames de matrícula ou grau dez, para alunos de entre 15 e 16 anos.

Estas pessoas tentavam supostamente passar papéis com as respostas ou dizê-las em voz alta aos alunos, ajudadas por longas cordas para escalar as fachadas.

A divulgação das imagens levou o Tribunal Supremo de Patna, capital deste populoso estado de cerca de 100 milhões de habitantes, e a Comissão de Direitos Humanos de Bihar a pedir a intervenção do governo regional para acabar com a fraude maciça nestas provas que dão acesso ao seguinte nível do ensino médio.

A Comissão advertiu em comunicado que estava em jogo "o futuro do estado", "entre 400 mil a 500 mil pessoas estão ajudando 14 mil estudantes a colar".

Enquanto isso, o chefe de governo regional, Nitish Kumar, declarou na sexta-feira que essas pessoas estavam "arruinando o futuro dos estudantes e de Bihar".

Os exames em vários centros foram suspensos e Kumar pediu a intervenção da Polícia, que desdobrou um dispositivo especial nos edifícios onde eram realizadas as provas.

Milhares vão às ruas na Índia contra estupro de freira:

EFE   
Publicidade
Publicidade