1 evento ao vivo

Governo indiano admite que há vítimas no submarino militar acidentado

14 ago 2013
05h13
atualizado às 05h18
  • separator
  • comentários

O governo da Índia reconheceu nesta quarta-feira que há vítimas no submarino da Marinha que, com 18 pessoas a bordo, explodiu na noite de ontem e causou um incêndio na embarcação, situada em um píer militar da cidade de Mumbai.

Até o momento, as autoridades militares desconhecem as causas do incidente
Até o momento, as autoridades militares desconhecem as causas do incidente
Foto: Reuters

"Me sinto triste pelas pessoas da Força Naval que perderam suas vidas pelo país", afirmou o ministro da Defesa da Índia, A.K. Antony, em entrevista à imprensa do lado de fora do Parlamento nacional em Nova Délhi e antes de seguir a Mumbai.

Embora tenha confirmado a existência de vítimas, Antony não soube precisar o número de mortos.

O incidente ocorreu por volta da meia-noite local no INS Sindhurakshak, um submarino que passou por uma reforma três meses antes na Rússia com um custo de US$ 80 milhões, segundo a imprensa indiana.

"Uma explosão provocou um grande incêndio. As equipes de bombeiros atuaram e controlaram o fogo, mas o submarino afundou e só uma pequena parte permanece na superfície", explicou à Agência Efe um porta-voz da Marinha em Mumbai, Narendra Visputi.

Segundo a agência "Ians", boa parte da tripulação conseguiu se lançar na água após a explosão e salvar suas vidas.

Até o momento, as autoridades militares desconhecem as causas do incidente, mas já criaram uma comissão de investigação para atuar no local.

O acidente ocorre horas antes da celebração do Dia da Independência, celebrado nesta quinta-feira no gigante asiático, uma festa nacional que vem rodeada de alertas de segurança perante o temor de atentados terroristas.

Mumbai, capital do Estado sudoeste de Maharashtra e que possui quase 20 milhões de habitantes, é a principal metrópole da Índia e foi palco de grandes ações terroristas no passado.

O INS Sindhurakshak, um dos vários submarinos de sua classe que a Índia comprou da Rússia, já apresentou problemas anteriormente, como um incêndio em 2010, quando uma pessoa morreu. Em 2012, ele foi enviado à Rússia para ser submetido a uma completa renovação.

A explosão em questão representa um duro golpe às Forças Armadas indianas, principal importador de armamento do planeta, que estão envolvidas em um amplo e caro processo de modernização de seu arsenal e equipamentos.

EFE   
  • separator
  • comentários
publicidade