PUBLICIDADE

EUA apoiam abertura de representação talibã no Catar

12 set 2011 - 13h37
(atualizado às 13h41)
Publicidade

Os Estados Unidos apoiam um plano de abertura de uma representação política dos talibãs no Catar antes do fim do ano, publicou nesta segunda-feira o jornal britânico The Times.

Esta iniciativa sem precedentes é destinada a permitir a abertura de negociações de paz com os talibãs, indica o jornal, citando "fontes ocidentais" que pediram para não ser identificadas.

Uma dessas fontes indicou que "não será uma embaixada ou um consulado", mas "uma direção na qual terão um gabinete político", insistindo que não poderão utilizá-la para arrecadar fundos.

O gabinete do autoproclamado "Emirado Islâmico do Afeganistão", denominação dada ao Estado afegão durante os anos nos quais governaram o Afeganistão (1996-2001), será a primeira representação internacionalmente reconhecida dos talibãs desde que foram derrubados do poder pela coalizão liderada pelos Estados Unidos, após os atentados de 11 de setembro de 2001.

Segundo o jornal britânico, os Estados Unidos insistiram que a representação deveria estar "fora da esfera de influência do Afeganistão". Já os talibãs tentam obter garantias de que seus representantes na capital do Qatar não serão perseguidos, disseram as fontes.

Os Estados Unidos, principais fornecedores de equipamentos e homens para a Força de Assistência à Segurança da Otan no Afeganistão (Isaf), e o Reino Unido admitiram em junho estar envolvidos em contatos com talibãs para buscar uma saída política ao conflito neste país.

O Ministério britânico de Relações Exteriores, procurado pela AFP, negou-se nesta segunda-feira a confirmar a informação do Times, alegando que era "um assunto dos Estados Unidos".

Oficialmente, os talibãs seguem rejeitando qualquer negociação de paz até que sejam retirados os 130 mil soldados estrangeiros presentes em seu país.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade