PUBLICIDADE

Em reunião com vice chinês, Temer destaca boas relações entre os países

Michel Temer e o colega Li Yuanchao destacaram o bom estado das relações bilaterais entre os países após reunião em Pequim

7 nov 2013 04h57
| atualizado às 05h00
ver comentários
Publicidade

O vice-presidente Michel Temer, e seu colega chinês, Li Yuanchao, destacaram nesta quinta-feira o bom estado das relações bilaterais entre Brasil e China em uma reunião no Grande Palácio do Povo em Pequim.

No começo do encontro, Temer, que está na China para uma visita de cinco dias, agradeceu seus anfitriões pelas "calorosas boas-vindas" no país e destacou a importância das relações entre as duas economias emergentes. Li destacou o papel do vice-presidente nas relações sino-brasileiras e disse que durante o encontro seriam abordadas "as relações bilaterais e temas de interesse comum".

A reunião, de uma hora de duração, aconteceu depois de uma cerimônia de boas-vindas no Grande Palácio do Povo, na qual os hinos nacionais dos dois países foram executados e os dois vice-presidentes passaram em revista as tropas chinesas. Depois da reunião, estava previsto um banquete também na sede da Assembleia Nacional chinesa para o vice-presidente.

Temer se reunirá nesta tarde com o presidente da China, Xi Jinping, com quem também vai tratar as relações bilaterais entre os dois países e assuntos globais de interesse comum.

Na quarta-feira, Michel Temer liderou a delegação brasileira que participou da 3ª sessão da Comissão China-Brasil de Alto Nível de Concertação e Cooperação, realizada em Cantão (sudeste da China) e que teve a colaboração agroalimentar como um dos assuntos principais.

Entre outros acordos, os dois países assinaram um protocolo para a compra de milho brasileiro por parte da China, o que representará uma troca comercial de US$ 4 bilhões.

Os dois países também assinaram um compromisso para prolongar em dez anos seu acordo de cooperação espacial. O quarto satélite da família CBERS será lançado no próximo mês pela China.

O vice-presidente também recebeu indicações das autoridades chinesas de que acabará o embargo contra a carne brasileira no gigante asiático. A primeira parada de Temer na China foi em Macau, onde participou do Fórum de países de língua portuguesa.

O vice-presidente ainda vai participar hoje na cerimônia de assinatura de um memorando de entendimento entre a Universidade de Pequim e a companhia telefônica Huawei para o apoio ao Núcleo de Estudos Brasileiros nessa instituição de ensino.

Na sexta-feira, Temer participará da abertura do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC) e se reunirá com empresários brasileiros e chineses do setor agropecuário, em um encontro promovido pela Confederação Nacional de Agricultura (CNA) do Brasil.

A visita oficial tem como fim fortalecer a Associação Estratégica Global entre Brasil e China, dois dos países dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e as maiores economias da América Latina e Ásia respectivamente.

A China é desde 2009 o maior parceiro comercial do Brasil e um dos principais países de origem do investimento estrangeiro direto no país.

O comércio entre os dois países somou US$ 75,4 bilhões no ano passado, um valor quase 20 vezes maior que uma década atrás, com exportações brasileiras de US$ 41,2 bilhões e importações de US$ 34,2 bilhões.

O vice-presidente está acompanhado, entre outros, pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, e o da Agricultura, Antonio Andrade.

EFE   
Publicidade
Publicidade