0

Desabrigados mantêm bom humor e trabalham pela reconstrução

19 mar 2011
16h29
atualizado às 20h28
ISABEL MARCHEZAN
MARCELO DO Ó
RICARDO MATSUKAWA
Direto de Sendai

Os corredores da escola Takasago estão escuros e sujos de terra. Não há aquecimento, e os banheiros cheiram a urina. Cerca de 1 mil pessoas circulam o dia inteiro, eliminando quase qualquer privacidade.

A escola foi transformada em um abrigo para quem perdeu sua casa para o tsunami em Sedai, na costa leste japonesa. Mas os abrigados, em vez de lamentar, se divertem.

As risadas de um grupo de adolescentes ecoam pelos corredores do abrigo. Antigos colegas de escola, os meninos e meninas, todos de 15 anos, são ao mesmo tempo alojados e voluntários. "Exciting" é como definem a vida no abrigo. Não param um segundo de rir e fazer piadas uns com os outros, enquanto contam que acordam sempre às 6h, e às 7h já estão envolvidos em atividades de reconstrução da área litorânea devastada pelo tsunami no último dia 11. Mas têm "muito tempo livre" para se divertir, assegura o estudante Ebina Tsea.

Cinco e meia da tarde, hora de servir o jantar. O perfume de curry se espalha pelo térreo do prédio e começa o vaivém de pessoas em torno dos panelões onde foram preparados arroz com carne e tonjiru (sopa de carne de porco). A refeição de hoje é um oferecimento do comerciante Naruyuki Tomita, 40 anos, que mora no centro de Sendai e escapou ileso do tsunami. Há três dias, ele traz a matéria-prima e participa do preparo da comida no abrigo Takasago.

Cerca de 1 mil pessoas se alimentam diariamente no alojamento ¿ 600 delas estão vivendo na escola, e as demais não tem condições de comprar comida, explica Sho Keneda, 61 anos, o coordenador do abrigo ¿ ele próprio um refugiado e voluntário.

"Não há prazo para que as pessoas retornem a suas casas, pois não há eletricidade, gás, nem água. Enquanto precisarem de ajuda, estaremos aqui", afirmou. Cem voluntários trabalham para acolher os desabrigados, que dispõem de cinco telefones para contatar parentes ou receber ligações à vontade.

Terremoto e tsunami devastam Japão
Na sexta-feira, 11, o Japão foi devastado por um terremoto que, segundo o USGS, atingiu os 8,9 graus da escala Richter, gerando um tsunami que arrasou a costa nordeste nipônica. Fora os danos imediatos, o perigo atômico permanece o maior desafio. Diversos reatores foram afetados, e a situação é crítica em Fukushima, onde existe o temor de um desastre nuclear.

Juntos, o terremoto e o tsunami já deixaram mais de 7 mil mortos e dezenas de milhares de desaparecidos. Além disso, os prejuízos já passam dos US$ 200 bilhões. Em meio a constantes réplicas do terremoto, o Japão trabalha para garantir a segurança dos sobreviventes e, aos poucos, iniciar a reconstrução das áreas devastadas.

Terra no Japão
Os enviados do Terra percorrem as áreas devastadas no Japão. Fale com eles na fanpage do portal no Facebook e no perfil @terranoticiasbr do Twitter.

Fonte: Terra
publicidade