5 eventos ao vivo

Defesa civil francesa deixa Sendai e vai para norte do Japão

16 mar 2011
16h24
atualizado às 17h17

A equipe de Defesa Civil francesa enviada ao Japão para ajudar nas operações de resgate após o terremoto seguido de tsunami deixou nesta quarta-feira a cidade de Sendai para se retirar a 350 km ao norte, principalmente, em razão da "situação nuclear e radiológica atual", segundo o Ministério do Interior.

Mencionando uma "medida de precaução", um comunicado da direção da Defesa Civil do ministério informou que a unidade francesa deixou "seu acampamento por volta das 19h (15h, horário de Brasília), partindo à região de Misawa, situada a 350 km ao norte de Sendai". "Dada a situação nuclear e radiológica atual e a dificuldade de trabalho, que não nos permite encontrar vítimas com vida, o ministro do Interior", Claude Guéant, "decidiu colocar em local seguro o contingente francês", precisou o comunicado.

A equipe da Defesa Civil, que chegou ao Japão na segunda-feira, conta com 103 homens; militares e bombeiros da brigada de incêndio de Paris. "Posicionado em uma região particularmente devastada pelo tsunami gerado pelo terremoto do dia 11 de março", o destacamento encontrou no total 16 corpos de japoneses, acrescentou o comunicado.

Um tsunami de 10 m de altura engoliu a costa de Sendai (nordeste) na sexta-feira, após o forte terremoto de magnitude 9, que atingiu um pouco antes o litoral da ilha. Esse tsunami colocou fora de funcionamento os sistemas de resfriamento dos reatores da usina de Fukushima 1, onde as autoridade japonesas lutam para impedir uma catástrofe nuclear de grandes proporções.

Terremoto e tsunami devastam Japão
Na sexta-feira, 11, o Japão foi devastado por um terremoto que, segundo o USGS, atingiu os 8,9 graus da escala Richter, gerando um tsunami que arrasou a costa nordeste nipônica. Fora os danos imediatos, o perigo atômico permanece o maior desafio. Diversos reatores foram afetados, e a situação é crítica em Fukushima, onde existe o temor de um desastre nuclear.

Juntos, o terremoto e o tsunami já deixaram mais de 4,3 mil mortos e dezenas de milhares de desaparecidos. Além disso, os prejuízos podem chegar a US$ 200 bilhões. Em meio a constantes réplicas do terremoto, o Japão trabalha para garantir a segurança dos sobreviventes e, aos poucos, iniciar a reconstrução das áreas devastadas.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade