PUBLICIDADE

Coreias realizam primeira reunião de alto nível desde 2007

12 fev 2014 00h50
| atualizado às 00h50
ver comentários
Publicidade

Representantes das Coreias do Sul e do Norte iniciaram nesta quarta-feira sua primeira reunião de alto nível em sete anos para tratar do histórico encontro das famílias separadas pela Guerra da Coreia (1950-53), programado entre os dias 20 e 25 deste mês.

Os delegados dos dois governos se encontraram às 10h05 locais (23h05 de Brasília da terça-feira) no lado sul da Aldeia de Panmunjom, localizada na fronteira que separa Norte e Sul, informou à agência EFE uma porta-voz do Ministério da Unificação sul-coreano.

As partes não estabeleceram quanto tempo deverá durar a reunião, que pode se prolongar por todo o dia "em função de como as negociações evoluírem", garantiu a porta-voz.

O primeiro encontro de alto nível entre os governos das duas Coreias em sete anos - o último foi em 2007 - é liderado, do lado sul-coreano, pelo secretário-geral do Conselho de Segurança Nacional do Escritório Presidencial, Kim Hyun-kyou.

Antes de partir para Panmunjom, Kim declarou à imprensa seu desejo de garantir que o próximo encontro das famílias divididas aconteça, conforme o previsto, entre os dias 20 e 25 deste mês no complexo turístico do monte norte-coreano de Kumgang.

Além disso, garantiu que terá na reunião de hoje uma "atitude aberta" para dar um passo importante para a construção de "uma nova península coreana".

A delegação da Coreia do Norte é liderada por Won Dong-yon, vice-diretor do Departamento da Frente Unida do Partido dos Trabalhadores.

Além de assentar o caminho para a realização do reencontro entre as famílias, espera-se que os representantes de Seul e Pyongyang busquem formas de dar uma periodicidade para esses eventos humanitários.

A reunião acontece após a proposta de Pyongyang, que no sábado passado formulou um pedido oficial a Seul pelo canal telefônico mantido pelas duas Coreias em Panmunjom.

Os dois governos concordaram na semana passada em realizar uma próxima reunião na qual 100 famílias do Norte e outras 100 do Sul se reunirão entre 20 e 25 de fevereiro com seus parentes do outro lado da fronteira, que não veem há mais de seis décadas.

O programado reencontro familiar será o 19º desde 1985 e o primeiro depois de três anos, desde outubro de 2010. Dezenas de milhares de coreanos, quase todos idosos atualmente, não puderam retomar o contato com seus parentes do outro lado da fronteira desde que o primeiro conflito armado em grande escala da Guerra Fria confirmou a divisão da península coreana entre o Sul capitalista e o Norte comunista.

EFE   
Publicidade
Publicidade