2 eventos ao vivo

China pede prudência a Coreia do Norte em lançamento de foguete

4 dez 2012
11h59
atualizado às 12h09

Pequim pediu nesta terça-feira ao regime norte-coreano para agir com "prudência", depois que Pyongyang anunciou que já colocou na plataforma de lançamento o segundo estágio do foguete que planeja lançar entre os dias 10 e 22 de dezembro.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hong Lei, reiterou em entrevista coletiva rotineira que Pequim espera que, tendo em vista a situação atual e as recomendações do Conselho de Segurança da ONU, Pyongyang "aja prudentemente, em benefício da paz e da estabilidade da península". Hong evitou contestar se a China se somaria a possíveis sanções por parte da comunidade internacional se a Coreia do Norte lançar o foguete, como promove, sobretudo, os Estados Unidos.

O porta-voz disse que a China manteve contatos com Seul, Washington, Moscou e Tóquio (integrantes, junto a Pequim e Pyongyang, do diálogo nuclear de seis lados no qual a Coreia do Norte se nega a participar desde 2007), mas não quis responder sobre se dispunha de "informação privilegiada" dos planos de seu vizinho norte-coreano. "Esperamos que todos os envolvidos possam tomar uma perspectiva a longo prazo e tramitar a situação com calma, de modo que sejam evitadas ações que possam piorar a situação", acrescentou Hong.

Após uma fracassada tentativa em abril, o regime de Kim Jong-un anunciou no sábado que planeja um segundo lançamento este mês, um plano que disparou o alerta entre seus vizinhos asiáticos, especialmente a Coreia do Sul, país com o qual se encontra em guerra técnica.

Tanto Coreia do Sul como seu aliado EUA e o Japão consideram que este tipo de lançamento encobre na realidade testes de mísseis balísticos, algo que violaria duas resoluções da ONU que proíbem a Pyongyang desenvolver essa tecnologia. O regime comunista, no entanto, sustenta que tem o objetivo pacífico de pôr em órbita um satélite de observação terrestre.

EFE   

compartilhe

publicidade