0

China decreta alerta máximo diante da chegada do tufão Utor

14 ago 2013
01h04
atualizado às 01h09
  • separator
  • comentários

As autoridades da China ativaram o alerta máximo perante a chegada do tufão Utor, que, segundo as previsões, tocará em solo chinês entre a noite desta quarta-feira e a manhã de quinta na província de Cantão e na ilha tropical de Hainan.

Segundo o Centro Nacional Meteorológico Meio Ambiental e Marinho, o nível de alerta passou de laranja a vermelho em uma escala de quatro cores, na qual o vermelho é a maior, seguida da laranja, amarela e azul.

A Administração Oceânica Estatal também emitiu um alerta de emergência na noite de ontem e ordenou o envio de equipes de trabalho ao sul do país para dirigir os esforços para prevenção de desastres na região.

O centro prevê que o tufão, o 11º que afeta o país asiático neste ano, provocará ondas de até 11 metros na parte norte do Mar do Sul da China e que estas poderiam chegar até os seis metros de altura nas zonas litorâneas de Cantão e, em menor medida, em Hainan.

O tufão também poderia afetar à região autônoma de Guangxi e as províncias de Fujian e Yunnan, todas elas situadas no sul do país, segundo as autoridades.

Com o máximo nível de alerta ativado, as autoridades locais das zonas afetadas foram orientadas a permanecer "atentas" às possíveis consequências do tufão e remover os residentes das zonas ameaçadas.

A iminente chegada do tufão já provocou a interrupção de vários serviços de transporte tanto em Cantão como em Hainan, além do cancelamento de 28 voos no aeroporto de Sanya - cidade famosa por seus complexos turísticos de luxo - e mais 26 no de Haikou, capital da ilha tropical.

Os serviços de trem de alta velocidade entre Haikou e Sanya também foram cancelados, assim como o transporte marítimo no Estreito de Qiongzhou, um canal que conecta a província de Hainan e a província de Cantão.

Em sua passagem pelas Filipinas, o tufão Utor causou pelo menos a morte de quatro pessoas e o desaparecimento de outras 11, com ventos de 150 km/h e rajadas de até 185 km/h.

EFE   
  • separator
  • comentários
publicidade