6 eventos ao vivo

Caixas-pretas do avião que caiu em Taiwan são decodificadas

Resultados não serão publicados imediatamente e relatório se tornará público em um ano

29 jul 2014
08h48
  • separator
  • 0
  • comentários

As duas caixas-pretas do voo GE0-222 da companhia aérea taiuanesa TransAsia, que caiu na semana passada nas Ilhas Pescadores, em Taiwan, causando a morte de 48 pessoas, foram decodificadas, mas os resultados não serão publicados imediatamente, informou nesta terça-feira o Conselho de Aviação Civil de Taiwan.

Oficiais observam destroços do avião que caiu em Taiwan na última quinta-feira
Oficiais observam destroços do avião que caiu em Taiwan na última quinta-feira
Foto: Pichi Chuang / Reuters

Por exigências legais, não se podem divulgar agora os dados das últimas conversas do piloto do voo acidentado e o relatório inicial sobre as causas do acidente será apresentado à Organização Internacional de Aviação Civil no prazo de 28 dias, afirmou o conselho em comunicado.

Os dados das duas caixas-pretas serão entregues à organização no prazo de três a quatro meses e o relatório final se tornará público no prazo de um ano. 

O acidente do avião ATR-72, de fabricação francesa, ocorreu na aldeia Xixi, nas Ilhas Pescadores, após várias tentativas fracassadas de aterrissagem, devidos ao mau tempo causado pelo tufão Matmo.

"Assim que for possível serão revelados os detalhes da situação do avião antes da aterrissagem", declarou o diretor-executivo do Conselho de Aviação Civil de Taiwan, Wang Hsing-chung.

Analistas internacionais chegaram à ilha, na semana passada, para ajudar a esclarecer as causas do acidente, incluídos representantes da aviação civil francesa, da fabricante do aparelho (Avions de Transport Régional) e da subministradora do motor do avião, o canadense Pratt & Whitney.

Os destroços do avião acidentado estão na base aérea de Magong, capital das Ilhas.

O voo de TransAsia, que decolou da cidade taiuanesa de Kaohsiung na quarta-feira passada à noite, caiu nas Ilhas Pescadores com 58 pessoas a bordo, das quais apenas dez sobreviveram.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade