0

Ativista flagra matança de cães para consumo no Vietnã

A carne de cachorro é comum em países asiáticos e ativistas vêm lutando para acabar com cultura

30 out 2014
15h53
  • separator
  • 0
  • comentários

Um ativista vietnamita e um repórter do Daily Mail enfrentaram cenas de “horror” na busca de matadores e restaurantes onde ocorre o comércio de cachorros para o consumo da carne no interior e capital do Vietnã. Em um vilarejo próximo à capital, Hanói, presenciaram a crueldade com que os animais são mortos e jogados, ainda vivos, em panelas de água fervendo para a retirada do couro. As informações são do Daily Mail.

A cena de horror foi presenciada pelo ativista e jornalista do Daily Mail
A cena de horror foi presenciada pelo ativista e jornalista do Daily Mail
Foto: Daily Mail / Reprodução

No relato do repórter Simon Parry, ele conta sobre o seu choque e o do ativista Le Duc Chinh. Confrontados pelo dono do comércio que, percebendo a finalidade da intervenção, se mostra profundamente irritado e grita com os dois. “Saiam daqui, vocês não têm nada o que fazer aqui, vão embora, estão atrapalhando meus negócios”, exclamou o vietnamita. Como não obedeceram, seus funcionários começam a cena que foi descrita com horror pelo jornalista.

Segundo a publicação, os animais são mortos de maneira muito cruel em países asiáticos onde o consumo de carne canina é comum, como no Vietnã. “O problema é que as pessoas não têm noção da crueldade envolvida no consumo da carne dos cachorros”.

Instigado pela presença dos dois ali, o dono do comércio faz um sinal aos seus funcionários que, primeiramente, pegam um dos cachorros que estava na gaiola (junto de outros, amedrontados) e bate na cabeça do animal com força com uma barra de ferro. Depois, outro homem corta sua garganta e, porque o animal ainda se mexia, “esguichou sangue para todos os lados”, de acordo com o jornalista. Por último, ainda vivo, o animal é jogado em um caldeirão de água fervendo, tem o couro retirado e é exposto em ganchos na espécie de açougue local.

Tentando salvar a vida dos outros cachorros, assustados dentro da gaiola, o ativista tenta conversar com os homens, mas não tem sucesso e eles acabam repetindo a cena na frente dos dois mais uma vez.  Chocados, eles se retiram dali e vão em direção à capital, onde diversos restaurantes mantém a tradição de servir cachorro.

Para a venda da carne, cães de estimação são sequestrados e vendidos e, em seguida, contrabandeados para a capital Hanói, onde a carne de cão é o mais popular e os preços mais elevados.

A escassez de animais tem feito o comércio de cão um grande problema em todo o Vietnã e, embora os comerciantes em Son Dong insistam que não lidam com cães roubados, os ativistas dizem que não há nenhuma maneira de dizer se um cão é roubado ou criado para a venda da carne. Mais de 500 mil pessoas já apoiaram uma campanha liderada por Ricky Gervais e Judi Dench para deter o comércio de cães na vizinha Tailândia, de onde são retirados e levados para serem abatidos e servido em restaurantes de carne de cão no Vietnã. 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade