1 evento ao vivo

Yoani Sánchez chega ao Congresso em meio a protestos

20 fev 2013
12h59
atualizado às 16h45
  • separator
  • comentários

A visita da dissidente cubana Yoani Sánchez à Câmara dos Deputados nesta quarta-feira causou tumulto entre alguns servidores da Casa. Parte dos funcionários, ligados a partidos de esquerda e movimentos sociais, vaiaram a blogueira durante seu percurso até o plenário onde será exibido o documentário Conexão Cuba-Honduras , para o qual foi entrevistada.

Blogueira cubana Yoani Sánchez chega a capital federal para participar de reunião no Congresso Nacional
Blogueira cubana Yoani Sánchez chega a capital federal para participar de reunião no Congresso Nacional
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Em discurso após a exibição do filme, Yoani afirmou que está feliz em poder visitar uma democracia como o Brasil. Para a cubana, manifestações como as que tem ocorrido durante sua passagem não seriam permitidas em seu país. Yoani ficou particularmente emocionada quando foi mostrado um trecho do documentário no qual dissidentes tentavam protestar em uma das ruas de Havana, capital cubana, mas foram repelidos por partidários do então presidente Fidel Castro.

“Uma rua onde a opinião é traição, onde narrar o dia-a-dia se converte em um problema político. Minha saída foi escrever um blog pacífico, moderado, onde falo do meu cotidiano, mas que trouxe como castigo a impossibilidade de sair do meu próprio país e a dilapidação pública da minha imagem. Isso porque em Cuba vivemos em uma grande censura, um monopólio informativo, onde há um partido que acredita poder falar em nome de uma nação. Cuba não é só um partido, um homem. Cuba é diversa, com muita cor e muitas ideias”, discursou a blogueira.

Yoani Sánchez, que ainda passará por mais oito países, incluindo os Estados Unidos, disse que a primeira passagem pelo Brasil está sendo emocionante não apenas por poder falar abertamente sobre suas posições políticas, mas também pelas semelhanças entre cubanos e brasileiros.

“Vou embora do Brasil em poucos dias com uma magnífica lembrança de pluralidade. Dizem que os brasileiros são como os cubanos, mas livres. Isto está certo. Somos parte de uma mesma família americana. Me encantaria ver os cubanos, um dia, com a liberdade e os direitos que vocês têm”, disse.

O convite para a vinda de Yoani a Brasília foi feito pelo deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ), após manifestantes terem impedido a exibição do filme em Feira de Santana, na Bahia. A cubana desembarcou no Brasil na última segunda-feira, depois de uma longa batalha para conseguir sair de Cuba. Durante seis anos, a dissidente solicitou autorização para viajar para o exterior por 20 vezes, mas teve todos os pedidos negados.

Dias antes de sua chegada, a revista Veja publicou matéria sobre uma articulação promovida pela embaixada de Cuba no Brasil. Em reunião convocada pelo embaixador Carlos Zamora, foi combinado uma série de protestos contra a blogueira. No encontro também foi distribuído um CD contendo um dossiê contra a cubana. O Palácio do Planalto confirmou que o assessor da Presidência da República, Ricardo Augusto Poppi Martins, participou da reunião.

Manobra
A visita de Yoani Sánchez causou confusão também entre parlamentares governistas e da oposição. O deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) acusou a base do governo de articular para tentar fazer com que a presença da cubana fosse diminuída. Isso porque, de última hora, a mesa diretora convocou uma sessão extraordinária para as 11h.

Regimentalmente, sempre que há sessão no plenário, a TV Câmara é obrigada a transmiti-la, tendo de deixar de lado eventos paralelos, como a visita de Yoani, que estava marcada para as 12h. Após reuniões entre governistas e oposicionistas, ficou acertado que a sessão do plenário seria suspensa para que a audiência com Yoani Sánchez fosse transmitida pela TV Câmara .

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade