PUBLICIDADE

Venezuela: procurado pela polícia, líder da oposição diz que vai a protesto

16 fev 2014 - 21h58
(atualizado às 21h58)
Ver comentários
Publicidade

O líder da oposição venezuelana, Leopoldo López, procurado pela polícia por ligação com protestos de rua, disse neste domingo, por meio do Twitter, que vai marchar junto com manifestantes na próxima terça-feira. Em um vídeo, López afirma que estará “mostrando a cara a todos”. “Não tenho nada a temer.”

Autoridades acusam Leopoldo López de assassinato e terrorismo em conexão com a violência em torno de quatro dias de protestos esporádicos contra o governo, que deixaram três mortos. No vídeo, o líder da oposição diz que aceitará a decisão de sua prisão. "Se existe alguma decisão legal para que me prendam, eu aceitarei esta decisão e a perseguição infame do Estado”, afirmou.

O presidente, Nicolás Maduro, pediu ontem que López se entregue, e o chamou de "covarde" e "fascista". O presidente venezuelano disse através do Twitter que a "Venezuela tem o direito e o dever de se defender destes grupos fascistas à margem da lei" e afirmou que derrotarão todos estes grupos.

López tinha a esperança de concorrer contra Hugo Chávez na eleição presidencial de 2012, mas saiu da corrida depois das primárias da oposição para apoiar a candidatura do governador estadual Henrique Capriles, que não foi bom sucedida.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade