0

Tempestade Agatha mata 82 na Guatemala e em El Salvador

30 mai 2010
20h15
atualizado às 23h23

As fortes chuvas provocadas pela tempestade Agatha, rebaixada para depressão tropical, deixaram pelo menos 82 mortos na Guatemala e em El Salvador, indicaram as autoridades de ambos os países.

Moradores observam a cratera formada depois que parte de uma rua cedeu, na Cidade da Guatemala
Moradores observam a cratera formada depois que parte de uma rua cedeu, na Cidade da Guatemala
Foto: Reuters

Na Guatemala, país mais afetado pela Agatha, a tempestade deixou pelo menos 73 mortos, informou neste domingo David de León, porta-voz da instituição encarregada dos trabalhos de emergência. O fato mais dramático foi registrado no município de San Antonió Palopó, departamento de Sololá, onde as chuvas provocaram o deslizamento de parte de um morro que destruiu cerca de 25 casas e deixou pelo menos 15 mortos e 10 desaparecidos, disse o prefeito da cidade, Andrés Cumes.

Para evitar doenças os corpos serão enterrados imediatamente, acrescentou aos jornalistas. As equipes de socorro encontraram os cadáveres de sete pessoas, incluindo duas crianças, enquanto outras quatro permanecem desaparecidas, na periferia norte da capital guatemalteca.

Um membro dos Bombeiros Voluntários explicou que uma avalanche de lama caiu sobre as casas dessa área mais pobre da capital na noite de sábado, mas que apenas neste domingo foi possível retirar os mortos.

Neste domingo, o México autorizou a Guatemala a utilizar o aeroporto da cidade fronteiriça de Tapachula (sul) para atender à emergência gerada pela catástrofe, informou neste domingo a Presidência mexicana.

Em El Salvador o mais recente registro oficial indicou que o número de mortos chegou a nove, enquanto o presidente Mauricio Funes decretou estado de emergência. "Quero enviar condolências às famílias dos nove falecidos em ocasião das fortes chuvas. Recebam meu afeto e minha disposição em ajudá-los em tudo o que precisarem", declarou Funes durante uma declaração em cadeia nacional de rádio e televisão.

Diante da situação excepcional "que vivemos me dirijo a vocês para comunicar que a evolução da tempestade tropical Agatha nos levou a decretar a partir deste momento estado de emergência em todo o território nacional", afirmou. O estado de emergência permite liberar recursos para atender a população afetada pelas chuvas e reparar os danos provocados à infraestrutura.

O mandatário classificou de "crítica" a situação atravessada por seu país e esclareceu que, embora a tempestade tenha diminuído de intensidade, "o risco" de deslizamentos e inundações de rios "é muito alto".

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade
publicidade