1 evento ao vivo

Sismólogo: forte tremor no México não se compara ao de 1985

20 mar 2012
19h41
atualizado às 20h15

O terremoto registrado nesta terça-feira no México, com uma magnitude de 7,4 graus na escala Richter, não é comparável com o de 1985, de 8,1 graus, já que sua energia sísmica nem chegou à metade daquele, disse o sismólogo Víctor Hugo Espíndola. "Esses poucos décimos de diferença, como não é uma relação completamente linear, correspondem ao dobro da energia", explicou Espíndola, do Serviço Sismológico Nacional.

Especial: os piores terremotos do século

Até agora não foram registradas mortes nem danos graves no terremoto de hoje, enquanto o de 1985 causou dez mil mortes e imensa destruição na capital mexicana. O aumento na escala Richter é exponencial, por isso a magnitude de um sismo aumenta 10 vezes de um grau para outro, de modo que um terremoto de intensidade 4 não é o dobro que um de intensidade 2, mas 100 vezes superior, explicou Espíndola. A partir dos 7 graus na escala Richter, os danos provocados por um sismo são muito grandes, enquanto a partir dos 8 graus já se fala em um grande terremoto.

"Lembremos que depois de 1985 foram modificados os regulamentos de construção; por causa desse sismo em todo o país a construção começou a ser levada a sério", destacou o sismólogo. O tremor foi registrado às 12h03 locais (15h03 de Brasília) com epicentro localizado a 29 quilômetros ao sul de Ometepec - município de 50 mil habitantes -, no estado de Guerrero, a 15 km de profundidade, segundo dados do Serviço Sismológico Nacional.

Até o momento, o Serviço Sismológico registrou nove réplicas e, segundo Espíndola, possivelmente ocorrerão outras. "Este tipo de sismo apresentará mais réplicas. Na região do epicentro obviamente continuarão sentindo estes movimentos, mas a experiência nos diz que é muito baixa a probabilidade de as réplicas superarem a intensidade do primeiro terremoto", declarou. O México se encontra em uma das maiores zonas sísmicas do mundo, onde interagem placas tectônicas como as do Pacífico, Cocos, América do Norte, Caribe e Rivera.

O tremor
O terremoto de magnitude 7,4 atingiu a região de Oaxaca, no Estado de Guerrero, no sul do México, às 12h02 desta terça-feira (15h02 pelo horário de Brasília). De acordo com Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o tremor foi registrado a aproximadamente 20 km de profundidade e a 190 km a leste da cidade de Acapulco, na costa mexicana do Oceano Pacífico.

Inicialmente, a estimativa do USGS era de um tremor de 7,9 graus, a uma profundidade de 17,5 km. A magnitude chegou a ser ajustada para 7,6 antes de ser confirmada com o atual valor. O Serviço Sismológico Nacional (SSN) mexicano, por sua vez, havia estimado entre 6,5 e 6,6 graus a magnitude do tremor, corrigindo o número posteriormente para 7,8 - dado não compartilhado pelo serviço de medição dos Estados Unidos. Após o tremor principal, foram registradas no mínimo seis réplicas - a mais forte foi de 5,3 graus, segundo o SSN.

Mapa mostra a localização do epicentro

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade