6 eventos ao vivo

Senado paraguaio inicia análise de pedido de impeachment de Lugo

21 jun 2012
16h44
atualizado às 17h54

O Senado do Paraguai deu início na tarde de hoje a uma sessão extraordinária que analisará o pedido de impeachment aprovado mais cedo na câmara dos deputados contra o presidente Fernando Lugo. O mandatário é alvo de fortes críticas por um confronto entre militares e sem-terra no último dia 15, no qual morreram ao menos 17 pessoas. A decisão pode sair já nesta sexta-feira.

Senado paraguaio, durante votação no início da sessão de análise de impeachment de Lugo: crise em Assunção
Senado paraguaio, durante votação no início da sessão de análise de impeachment de Lugo: crise em Assunção
Foto: EFE

Os senadores analisarão o documento aprovado de modo massivo (73 votos a 1) na câmara paraguaia, dominada por oposicionistas. O Senado deve receber deputados representantes da moção e, depois, abrir espaço para a defesa de Lugo, que poderá responder às perguntas na presença de advogados. O documento também passará pela Comissão de Assuntos Constitucionais. Somente depois destas instâncias é que os senadores darão uma resposta sobre o assunto, que precisaria de ao menos 30 de 45 votos para ser aprovado.

Todo este trâmite, todavia, pode ser finalizado amanhã. De acordo com as agências Reuters e EFE, a decisão pode sair já às 16h30 (17h30 de Brasília) desta sexta-feira. Isso significaria aprovação do impeachment de Fernando Lugo em pouco mais de 24h. Os horários inicialmente previstos para amanhã são: defesa às 12h (13h), avaliação às 14h30 (15h30), alegações finais às 15h30 (16h30) e sentença às 16h30 (17h30).

A situação política no Paraguai é complicada desde o último dia 15, quando 17 pessoas, entre militares e sem-terras, morreram durante uma operação de desocupação de uma área particular na cidade de Curuguaty, a 250 km da capital Assunção; 80 pessoas ficaram feridas. Lugo manifestou "apoio absoluto" à ação das forças militates, mas vem sofrendo desgaste desde então, sendo forçado a trocar o ministro do Interior e o chefe de Polícia.

O pedido de impeachment aprovado pelos deputados gerou reações instantâneas entre as lideranças latino-americanas. A Organização dos Estados Americanos pediu que o país dialogue e respeite a Constituição para manter a paz interna na nação. Representantes da União das Nações Sul-americanas (Unasul) presentes na Rio+20, no Rio de Janeiro, anunciaram o envio de uma missão ao Paraguai para acompanhar a situação.

Fernando Lugo, ex-bispo católico, é presidente do Paraguai desde 2008, quando foi eleito pela Aliança Patrióatica para a Mudança (Alianza Patriótica para el Cambio), formada por partidos socialistas e socialdemocratas. Ele garantiu hoje que aceita ser submetido a julgamento, mas que descarta renúncia.

Com informações dos portais paraguaios do ABC e do Ultima Hora.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade