0

Primeiros mineiros resgatados chegarão a hospital em 4 horas

13 out 2010
01h37
atualizado às 06h32
Gabriel Toueg

A chegada ao hospital dos primeiros mineiros resgatados no Chile deve levar cerca de quatro horas. A informação é do dermatologista Juan Mellibovsky, do Hospital Regional Copiapó, que conversou com o Terra por telefone. Segundo o médico, após a triagem realizada no local de resgate, os mineiros ficarão "cerca de duas horas" com os familiares.

Ainda de acordo com Mellibovsky, um helicóptero levará os quatro primeiros trabalhadores para o hospital em uma só viagem. O médico é chefe do departamento de dermatologia do hospital de Copiapó, localizado a 74 km do local do resgate, e fará o primeiro atendimento dos mineiros com uma equipe de pelo menos outros nove médicos.

Telão e festa
Pouco depois do resgate de Carlos Mamani, o único boliviano do grupo e o quarto a sair da montanha em San José, Mellibovsky comentou que Copiapó "e todo o Chile" estão em festa. "Saí (do hospital) para dar uma volta e vi muita gente nas ruas fazendo festa, dançando, aplaudindo a cada mineiro que é resgatado", contou. Ele também relatou que um telão foi instalado diante do hospital para transmitir as imagens diretamente do local do resgate.

"Estão dizendo por aqui que 'a montanha pariu os mineiros'", contou. Segundo o médico, essa é a expressão que está sendo usada no Chile referência ao resgate. A montanha, na metáfora, teria "gerido" os mineiros soterrados durante os últimos 70 dias, e a cápsula Fênix II, usada para o resgate, seria uma espécia de "cordão umbilical" que liga a montanha aos mineiros.

Logo depois da saída do segundo mineiro, Mario Sepúlveda, o médico contou ao Terra que a atmosfera no hospital era "de festa e comemoração". Segundo ele, já havia muita gente do lado de fora do hospital, apesar de ser madrugada. "As pessoas buzinam nos carros e fazem festa", disse.

Além de muitos populares há, segundo o médico, cerca de 200 jornalistas chilenos e estrangeiros instalados no hospital esperando para acompanhar a chegada dos mineiros resgatados. Ao todo, o número de jornalistas acompanhando a operação de resgate dos 33 mineiros in loco ultrapassa 1,5 mil.

Desmoronamento
Em 5 de agosto, um desmoronamento na mina San José, em Copiapó, deixou 33 trabalhadores presos em uma galeria a quase 700 m de profundidade. Após 17 dias, as equipes de resgate conseguiram contato com o grupo e descobriram que estavam todos vivos por meio de um bilhete enviado à superfície. A partir daí, começou a operação para retirá-los da mina em segurança.

A escavação do duto que alcançou os mineiros durou 33 dias. O processo terminou no sábado, quando os martelos das perfuradoras chegaram até o abrigo onde eles estão. Concluída esta etapa, as equipes de resgate decidiram revestir o duto - ainda que parcialmente - para aumentar a segurança antes de retirá-los. Os trabalhadores são içados dentro da cápsula Fênix II, que tem 53 cm de diâmetro. Durante todo o percurso de subida, eles têm suas condições de saúde monitoradas, usam tubos de oxigênio e se comunicam com as equipes da superfície por meio de microfones instalados nos capacetes. A previsão inicial é de que o resgate de todos os mineiros leve entre 24 e 48 horas.

Fonte: Redação Terra
publicidade