0

Pnud: América Latina é a região com maior índice de violência

14 set 2011
21h43
atualizado às 21h51

A América Latina se tornou a região mais violenta do mundo, com uma média de 23 assassinatos por ano para cada 100 mil habitantes, informou nesta quarta-feira o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Durante a participação em um fórum sobre segurança regional, o diretor regional do Pnud, Heraldo Muñoz, afirmou que, apesar de a América Latina ter 9% da população mundial, é o local onde acontecem 27% dos homicídios registrados em todo o planeta.

O índice, segundo dados, representa entre 70 mil e 90 mil homicídios por ano. "O número é ainda mais alarmante se olharmos por sub-regiões, como a América Central, com 44 homicídios para cada 100 mil habitantes", argumentou Muñoz, que acrescentou que "hoje há mais mortos que durante o auge da guerra civil em vários países centro-americanos".

De acordo com o Pnud, em 2010 foram registrados 71 homicídios em El Salvador para cada 100 mil pessoas e 52 na Guatemala, números muito acima de outras regiões. Lesoto e África do Sul, por exemplo, têm médias de 36 homicídios para cada 100 mil habitantes, de acordo com números do Escritório da ONU contra Drogas e Crime correspondentes a 2008, o último ano disponível. Muñoz participou do Fórum de Segurança Regional, Cidadã e Desenvolvimento, no qual também esteve presente a administradora geral do Pnud, Helen Clark, e o secretário de interior mexicano, Francisco Blake.

Helen convocou os governos latino-americanos a trabalharem em programas integrais que fortaleçam o combate contra a violência e o crime organizado. Ela acrescentou também que os países da América Latina destinaram recursos entre 5% e 40% de seu produto interno bruto (PIB) para fazer frente à insegurança.

Mas também advertiu que esses países "não podem destinar somente recursos para combater a criminalidade deixando de lado os programas de desenvolvimento". Por isso, a administradora geral se dedicou em criar planos integrais de cooperação regional nesse sentido. Blake, por sua vez, disse que no México a taxa anual de homicídios é de 14 para cada 100 mil pessoas.

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade