0

Palestinos pedem que mineiros rejeitem convite israelense

20 out 2010
10h01
atualizado às 10h30
  • separator
  • comentários

Os palestinos cristãos esperam que os mineiros chilenos rejeitem o convite de Israel para visitar a Terra Santa no Natal, visto que boa parte dos lugares mais conhecidos (como o Santo Sepulcro e a Basílica da Natividade) estão em território palestino ocupado.

Eletricista Mario Sepúlveda Espinace, segundo mineiro retirado da galeria, deixa a cápsula emocionado; ele puxou a "torcida" presente aos gritos de "Chi, Chi, Chile"
Eletricista Mario Sepúlveda Espinace, segundo mineiro retirado da galeria, deixa a cápsula emocionado; ele puxou a "torcida" presente aos gritos de "Chi, Chi, Chile"
Foto: Reuters

"Esperamos que rejeitem o convite", disse à agência EFE Rifaat Kassis, coordenador do movimento cristão palestino Kairos, que vive em Belém.

"Claro que os mineiros e suas famílias são bem-vindos na Terra Santa, mas deveriam fazer a visita guiados pelos palestinos, e não pelos israelenses, que fazem a ocupação militar daqui", acrescentou.

Kassis considera "engraçado" que "uma potência invasora como Israel tente atuar de forma humanitária com os mineradores chilenos enquanto se desentende com a população que mantém fechada em Gaza". "A humanidade começa na própria casa, por isso os israelenses deveriam tratar bem primeiro os palestinos que têm em seu quintal".

Xavier Abu Eid, porta-voz do Departamento de Negociações da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), avalia que o convite aos mineradores "reflete o uso político que Israel faz do turismo".

"Belém está no território palestino e um convite feito pelo Ministério israelense a estrangeiros para passar o Natal em Belém é como se o Ministério de Relações Exteriores francês convidasse um grupo de chineses para o Carnaval do Rio de Janeiro", comparou.

Na segunda-feira passada o Ministério do Turismo israelense convidou os mineradores chilenos e suas esposas a irem à Terra Santa no Natal para visitar os lugares santos do cristianismo e agradecer a Deus pelo seu surpreendente resgate após 70 dias soterrados.

Abu Eid lembrou ainda que o convite "ocorre no contexto da reunião de Turismo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que Israel utiliza para gerar a ideia de que Jerusalém Oriental é a capital israelense".

Além disso, o convite também coincide com o anúncio de uma iniciativa parlamentar que proíbe os palestinos de trabalhar como guias na Cidade Antiga de Jerusalém, que é território palestino ocupado.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade