1 evento ao vivo

Neto 109 recuperado da ditadura argentina é de pais chilenos

7 ago 2013
17h52
atualizado às 18h19
  • separator
  • 0
  • comentários

A organização Avós da Praça de Maio anunciou nesta quarta-feira que o neto número 109 recém-descoberto é filho de um casal chileno sequestrado pela ditadura na Argentina, em abril de 1976. As Avós ainda tentam encontrar cerca de 400 bebês que foram levados dos pais, prisioneiros políticos da ditadura (1976-1983).

"Pablo Germán Athanasiu Laschan, de 37 anos, foi sequestrado junto com seus pais em 15 de abril de 1976, quando tinha 5 meses e meio, no âmbito do Plano Condor", de coordenação repressiva das ditaduras sul-americanas, informou a organização em uma nota. Os pais do "neto recuperado", Frida Laschan Mellado e Angel Athanasiu Jara, eram militantes do Movimento da Esquerda Revolucionária (MIR, na sigla em espanhol).

Frida ocupou um cargo na Corporação da Reforma Agrária (CORA) durante o governo do socialista Salvador Allende, derrubado em 1973. Ela sofreu perseguição política depois do golpe do Augusto Pinochet (1973/1990), ao ser detida na delegacia da cidade de Lautaro (sul) e, depois, em Santiago, no Chile. Já liberada, exilou-se em Buenos Aires, onde reencontrou Athanasiu Jara, que havia escapado um tempo antes.

"Pablo Germán nasceu em 29 de outubro de 1975 e foi registrado depois de seu sequestro como filho natural por um casal com estreita ligação com funcionários da ditadura", completou a entidade.

Desde o sequestro, as famílias Athanasiu e Laschan fizeram várias denúncias para saber o que aconteceu com o casal e com o bebê. Em abril passado, Pablo Germán foi contactado pelas Avós e, há um mês, concordou em fazer um exame imunogenético que conseguiu determinar, com 99,99% de certeza, que ele pertence ao grupo familiar Athanasiu Laschan.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade