0

Morre Tomás Borge, fundador da Frente Sandinista na Nicarágua

1 mai 2012
00h59
atualizado às 04h41

O fundador da ex-guerrilheira Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN, esquerda) da Nicarágua Tomás Borge morreu nesta segunda-feira, aos 81 anos, após permanecer quase um mês hospitalizado por uma complicação pós-operatória nos pulmões, informou uma fonte oficial.

"É com profunda dor que estamos comunicando o fim da vida terrena e frutífera vida revolucionária do comandante Tomás Borge", disse a primeira-dama e porta-voz do governo, Rosario Murillo.

No momento de sua morte, pouco depois das 21h locais, Borge estava acompanhado por sua esposa e filhos, disse Rosario, embora seja "dos mortos que nunca morrem". "Cumprimentamos o comandante Borge com respeito, com carinho", e seguirá "sempre à frente" do partido sandinista dirigido por Daniel Ortega, expressou a primeira-dama.

O presidente nicaraguense, Daniel Ortega, decretou três dias de luto nacional, suspendeu as atividades previstas pelo Dia dos Trabalhadores e convocou os dirigentes sandinistas ao Palácio Nacional nesta terça-feira para prestar homenagem a Borge.

Atual embaixador da Nicarágua no Peru, Borge faleceu no hospital militar "Dávila Bolaños" de Manágua, onde foi operado em 6 de abril devido a um problema pulmonar. O comandante Borge foi o único dos fundadores da Frente Sandinista a sobreviver à revolta popular que a FSLN liderou em 1979 contra a sangrenta dinastia dos Somoza, que governou a Nicarágua durante quase meio século.

Borge foi membro da poderosa Direção Nacional da FSLN, que conduziu o processo revolucionário após a queda da ditadura, e ocupou o ministério do Interior durante uma década de governo sandinista (1979-1990).

Com informações das agências AFP e EFE

Tomás Borge (foto de 2011) era embaixador da Nicarágua no Peru
Tomás Borge (foto de 2011) era embaixador da Nicarágua no Peru
Foto: Reuters
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade