0

Manifestantes tomaram embaixada do Egito em Caracas

28 jan 2011
22h08
atualizado às 23h17

Um grupo de manifestantes tomou temporariamente nesta sexta-feira a embaixada do Egito em Caracas, mas a situação foi resolvida após a intervenção do governo venezuelano, informou o presidente Hugo Chávez, que qualificou o caso de "preocupante".

"Acabo de falar com o chanceler (Nicolás Maduro). Ocorreu um fato muito preocupante: um grupo de cidadãos venezuelanos, mas egípcios, entraram na embaixada, iam pedir documentos mas tomaram a embaixada. Isso não pode ser permitido", disse Chávez durante uma cerimônia com militares. "O embaixador do Egito falou com o nosso governo", continuou o presidente.

Segundo Chávez, o embaixador autorizou a entrada das forças de ordem, mas o governo preferiu negociar através do chanceler Maduro, que se reuniu com um dos líderes da manifestação. "Maduro me disse que 'o jovem líder egípcio disse que eles sairão por Chávez, por respeito a Chávez, mas eles queriam manifestar'. Não deveriam fazer isso", insistiu o presidente.

"Já saíram. Resolvida a situação na embaixada do Egito. Os manifestantes saíram. O embaixador está satisfeito", leu Chávez ao receber um relatório. O incidente ocorreu no momento em que no Egito milhares de manifestantes se mobilizam para exigir a saída do presidente Hosni Mubarak - no poder desde 1981 - em protestos que deixam 20 mortos e levaram o governo a recorrer ao exército e a decretar um toque de recolher.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

publicidade
publicidade