1 evento ao vivo

Mais de 17 brasileiros teriam morrido no Haiti, diz ministro

13 jan 2010
12h07
atualizado às 12h34

O ministro interino da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), Rogério Sottili, afirmou nesta quarta-feira que há relatos de que mais de 17 brasileiros foram mortos no terremoto que atingiu ontem Porto Príncipe, a capital do Haiti.

Mulher se desespera ao ver o cenário de destruição
Mulher se desespera ao ver o cenário de destruição
Foto: AFP

Diante do pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sottili embarca nesta quarta, acompanhado do ministro da Defesa, Nelson Jobim, para a capital haitiana. Eles vão avaliar os danos causados pelos tremores.

O governo brasileiro enfrenta dificuldades para obter informações, uma vez que os sistemas de telefonia fixa e móvel, além do abastecimento de energia elétrica, estão comprometidos. Por determinação do presidente, serão enviados US$ 10 milhões como ajuda humanitária para o Haiti.

Terremoto
Um terremoto de magnitude 7 na escala Richter atingiu o Haiti nessa terça-feira, às 16h53 no horário local (19h53 em Brasília). Com epicentro a 15 km da capital, Porto Príncipe, segundo o Serviço Geológico Norte-Americano, o terremoto é considerado pelo órgão o mais forte a atingir o país nos últimos 200 anos.

Dezenas de prédios da capital caíram e deixaram moradores sob escombros. Importantes edificações foram atingidas, como prédios das Nações Unidas e do governo do país. No entanto, devido à precariedade dos serviços básicos do país, ainda não há estimativas sobre o número de vítimas fatais nem de feridos. O Haiti é o país mais pobre do continente americano.

Morte de brasileiros
A fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Criança, Organismo de Ação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Zilda Arns, e pelo menos cinco militares brasileiros morreram durante o terremoto no Haiti.

O ministério das Relações Exteriores do Brasil anunciou que o país enviará até US$ 15 milhões para ajudar a reconstruir o Haiti após o terremoto que devastou o país nesta terça-feira. Além dos recursos financeiros, o Brasil doará 14 t de alimentos para a população do país. A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou oito aeronaves de transporte para ajudar as vítimas. A prioridade será o envio de água e de alimentos.

O Brasil no Haiti
O Brasil chefia a missão de paz da ONU no país (Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, ou Minustah, na sigla em francês), que conta com cerca de 7 mil integrantes. Segundo o Ministério da Defesa, 1.266 militares brasileiros servem na força. Ao todo, são 1.310 brasileiros no Haiti.

A missão de paz foi criada em 2004, depois que o então presidente Jean-Bertrand Aristide foi deposto durante uma rebelião. Além do prédio da ONU, o prédio da Embaixada Brasileira em Porto Príncipe também ficou danificado, mas segundo o governo, não há vítimas entre os funcionários brasileiros.

Agência Brasil Agência Brasil

compartilhe

publicidade
publicidade