PUBLICIDADE

América Latina

Lula abraça Cristina na chegada ao velório de Néstor Kirchner

28 out 2010 - 22h13
(atualizado em 29/10/2010 às 00h22)
Compartilhar
Maurício Boff
Direto de Buenos Aires

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, deu um abraço e ofereceu suas condolências na noite desta quinta-feira à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, na capela-ardente da Casa Rosada, onde é velado o corpo de seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner. Lula chegou ao aeroporto metropolitano, onde se desculpou por não fazer declarações, e dirigiu-se diretamente à Casa Rosada (sede do governo), onde ofereceu os pêsames à presidente argentina e transmitiu-lhe carinho.

O presidente brasileiro fez uma pausa na campanha eleitoral a favor da candidata do PT, Dilma Rousseff, para viajar a Buenos Aires e participar do funeral de Néstor Kirchner, vítima de uma parada cardiorrespiratória na última quarta.

O avião com Lula aterrissou às 21h53 (horário de Brasília) na pista do setor militar do Aeroparque Jorge Newbery. Ele viajou acompanhado pelo assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, e pelo senador Aloísio Mercadante (PT). Na pista do aeroporto, Lula foi recebido no tapete vermelho pelo brigadeiro Jorge Mário Reta, secretário-geral da Força Aérea Argentina.

O presidente brasileiro não concedeu entrevista coletiva como os demais presidentes da América Latina e partiu em comitiva direto para a Casa Rosada. Lula ficará em torno de 1 hora no velório de Néstor e deve conversar privadamente com Cristina Kirchner.

O retorno de Buenos Aires ocorrerá por volta da meia-noite desta quinta-feira. A previsão é que Lula chegue às 2h em São Paulo, onde cumpre agenda nesta sexta-feira.

Trajetória

Nascido em 25 de fevereiro de 1950 em Rio Gallegos, na província de Santa Cruz, Patagônia, Néstor Carlos Kirchner teve uma vida dedicada à política. Participou desde cedo de movimentos, fazendo oposição ao governo militar como parte da Juventude Peronista. Chegou à Presidência da Argentina em 2003, fazendo sua mulher como sucessora em 2007.

Considerado um homem público com um caráter implacável frente a seus adversários, Kirchner foi um dos políticos mais influentes do país e um potencial candidato para as eleições de outubro do ano que vem.

Fonte: Especial para Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra