0

Jornalista italiano enviou foto falsa de Chávez publicada pelo 'El País'

24 jan 2013
19h27
atualizado às 19h43
  • separator
  • comentários

O jornalista italiano Tommasso Debenedetti confessou nesta quinta-feira que enviou para três agências de notícias da América Latina a foto falsa do presidente Hugo Chávez publicada na capa do jornal espanhol El País. Em entrevista à agência mexicana Notimex, ele afirmou que, ao enviar a imagem, se passou pelo ministro de Cultural da Venezuela, Pedro Calzadilla, e que seu objetivo era “verificar a rigorosidade dos veículos quando decidem publicar um material fotográfico”.

A foto falsa do presidente Hugo Chávez foi publicada na capa do jornal espanhol <em>El País</em>
A foto falsa do presidente Hugo Chávez foi publicada na capa do jornal espanhol El País
Foto: Terra

Entenda o impasse na Venezuela
O que aconteceu desde a última partida de Chávez a Cuba?
Adiamento de posse preenche vácuo constitucional venezuelano

“A foto falsa de Chávez, que tirei de um vídeo do YouTube, enviei na semana passada a uma agência da Costa Rica, à agência estatal venezuelana e para a Prensa Latina (cubana) e nunca imaginei que iria terminar na capa do El País”, disse o jornalista. Ele acrescentou que nenhuma das três agências publicou a foto em questão e que “por estranhas circunstâncias” a imagem apareceu na primeira página de “um jornal tão importante como o El País”.

O jornal El País, de maior circulação da Espanha, admitiu ter errado ao publicar a foto em suas versões impressa e online. O diário não disponibilizou assinatura do autor da imagem, pois afirmou "não poder verificar de forma independente as circunstâncias em que (a foto) foi tirada, tampouco o momento preciso e o lugar". Segundo o diário, "as particularidades políticas de Cuba e as restrições informativas impostas pelo regime tornaram isso impossível."

O jornal comunicou, em nota, que retirou a foto do seu website após meia-hora no ar. O grupo espanhol disse, ainda, que interrompeu a distribuição de sua edição impressa e enviou uma nova versão para os pontos de venda.

Em sua página do Twitter, Pedro J. Ramirez, diretor do jornal El Mundo, afirmou que a foto lhe foi oferecida, mas se recusou a publicá-la sem apuração: "ontem nos ofereceram uma foto de Chávez entubado. Dissemos não. Como se vê, outro veículo aceitou", escreveu, enquanto a imagem ainda não havia sido retirada do ar pelo concorrente El País.

Debenedetti foi o autor de outras “pegadinhas” similares com a imprensa. Ele já criou rumores sobre a morte do ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, do escritor colombiano Gabriel García Márquez e criou perfis falsos de personalidades como os escritores Mario Vargas Llosa e Umberto Eco. Ele também já se passou, nas redes sociais, pelos escritores Paco Ignacio Taibo II, Almudena Grandes, Laura Esquivel e Isabel Allende, além de inventar entrevistas com outras personalidades. O jornalista argumenta que seu objetivo é denunciar a falta de controle da informação e facilidade para implantar notícias falsas na internet.

O presidente venezuelano se encontra hospitalizado em Cuba desde 11 de dezembro, quando foi submetido a uma intervenção cirúrgica por conta de um câncer. Desde que foi internado, Chávez não aparece em público, nem mesmo em fotos. Nos últimos dois meses, diversas falsas informações foram divulgadas sobre o estado de saúde do presidente. um vídeo, cuja veracidade também nunca foi comprovada, foi publicado no YouTube e mostra um homem rodeado de aparelhos com o título "Chávez terapia intensiva". Uma montagem do presidente venezuelano em um caixão também circulou no Twitter há algumas semanas.

Com informações da teleSUR e do jornal La Jornada.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade