0

Gangue fazia cães engolirem cocaína para tráfico

Cães eram enviados do México para a Itália e depois sacrificados.

10 jul 2013
08h57
atualizado às 08h57
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Cão da raça dogue de Bordéus, usada pelos traficantes
Cão da raça dogue de Bordéus, usada pelos traficantes
Foto: AFP

Uma gangue latino-americana desbaratada na Itália está sendo acusada de usar cachorros para traficar cocaína do México e depois sacrificá-los para retirar a droga de seus estômagos.

Segundo as investigações, um veterinário forçava os cães a engolir pacotes da droga para depois embarcá-los em um voo para Milão.

Grupos de defesa dos direitos dos animais criticaram a ação dos traficantes e acreditam que muitos cães teriam chegado mortos à Itália, já que um pequeno vazamento de cocaína seria suficiente para matá-los.

Acredita-se que os 49 suspeitos, que teriam idades de entre 19 e 37 anos, fariam parte de uma gangue de tráfico de drogas conhecida como "pandillas".

O juiz italiano Fabrizio D'Arcangelo acredita que o grupo armado, desbaratado em março, estaria envolvido em vários crimes em Milão e arredores.

Os homens, de nacionalidade equatoriana, peruana e salvadorenha, serão julgados em outubro, na Itália.

 

Veja também:

Asiáticos relatam discriminação na Alemanha em meio à pandemia
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade