6 eventos ao vivo

Fundador da McAfee se enterra na areia para fugir da polícia

13 nov 2012
09h59
atualizado às 16h52

O programador e fundador da empresa fabricante de antivírus McAfee, John Mcafee, 67 anos, está sendo procurado pela polícia em Belize por homicídio. Ele é o principal suspeito do assassinato do expatriado americano Gregory Faull, seu vizinho, segundo o site de tecnologia americano Gizmodo, que cita a polícia local. Belize é um país situado na costa nordeste da América Central, vizinho ao México e à Guatemala, que se tornou independente do Reino Unido em 1981.

John Mcafee se enterrou na areia para não ser encontrado para interrogatório
John Mcafee se enterrou na areia para não ser encontrado para interrogatório
Foto: News5 / Reprodução

Faull foi encontrado morto com um tiro na cabeça na noite de sábado em sua casa na cidade de San Pedro. Não havia sinais de arrombamento, mas no comunicado enviado pela polícia ao Gizmodo, é relatado o desaparecimento de um notebook e de um iPhone.

Moradores da área não identificados afirmaram que Faull e Mcafee tiveram divergências nos últimos meses, a última das quais por causa dos mais de 10 cachorros que o milionário tem na residência. Os vizinhos também afirmaram ao site que Mcafee tinha um comportamento cada vez mais imprevisível e que permanecia afastado da comunidade de expatriados em Belize.

Enterrado na areia
Procurado pelas autoridades da ilha para ser interrogado após o assassinato do vizinho, Macafee declarou à revista Wired que se escondeu quando a polícia entrou em sua mansão e que não vai entregar-se às forças de segurança. "Foi extremamente incômodo", afirmou.

Ele disse que permaneceu enterrado em um buraco cavado na areia, com uma caixa sobre a cabeça para poder respirar, enquanto a polícia o procurava em sua residência na noite de domingo. "Não falarei sob nenhuma circunstância com a polícia deste país", declarou à revista.

"Podem pensar que sou paranoico dizendo isto, mas querem me matar. Há meses estão tentando me pegar. Querem que eu fique calado. Não agrado ao primeiro-ministro (de Belize, Dean Oliver Barrow). Sou uma pedra no sapato de todo mundo", continuou Mcafee.

Na segunda-feira, o oficial Marco Vidal, que comanda a brigada de combate ao crime organizado (GSU), disse que Mcafee é "procurado para ser interrogado em uma investigação por homicídio". No domingo, a polícia compareceu à mansão do milionário americano, mas não encontrou ninguém.

Os investigadores encontraram no local do crime "uma cápsula 9 milímetros, que é consistente com o ferimento na nuca de Faull", informou o porta-voz da polícia de Belize, Rafael Martínez. Mcafee declarou à revista Wired que não sabe nada sobre a morte de Faull, apenas que o vizinho foi baleado, e acrescentou que teme estar sendo procurado pelo assassino de Faull.

As autoridades também informaram que há alguns meses revistaram a casa de Mcafee em busca de armas e drogas. O milionário foi detido por algumas horas. Ele alega que a detenção aconteceu depois de sua recusa a fazer uma grande doação para a campanha de um político local.

Mcafee vendeu a empresa que fundou em 2010 por US$ 7,68 bilhões para a Intel e não tem mais participação na companhia. Ele fundou a fabricante de antivírus em 1980. Em abril deste ano, ele teve sua casa em Belize invadida por policiais, que encontraram um laboratório de química, US$ 20 mil e um estoque de armas de fogo.

Com informações da AFP.

Fonte: Terra
publicidade