3 eventos ao vivo

"Dreamers" que desafiaram leis migratórias são soltos nos EUA

7 ago 2013
22h04
atualizado às 22h22
  • separator
  • 0
  • comentários

Nove jovens imigrantes em situação ilegal, os chamados "dreamers" (sonhadores), detidos ao tentar entrar nos EUA pela fronteira com o México em desafio às leis migratórias, foram soltos nesta quarta-feira.

"Estamos prontos para ir pra casa e estamos prontos para lutar até que caiam as paredes de todos os centros de detenção", disse Lulú Martínez, uma das nove "dreamers", em um vídeo da Aliança Nacional de Jovens Imigrantes (NIYA, na sigla em inglês), que organizou o protesto.

"Dreamers" são os jovens em situação clandestina, que chegaram aos EUA ilegalmente com suas famílias quando eram pequenos e foram criados como americanos. Quando cresceram, descobriram que não podiam ter uma conta bancária, viajar para o exterior, ou ter bolsas universitárias.

Os nove "dreamers" foram libertados do centro de detenção Eloy, no sul do Arizona, depois de tentar entrar nos Estados Unidos por um posto fronteiriço de Nogales (Sonora, norte do México). Três deles foram voluntariamente para Nogales, alguns dias antes, para se unir a outros cinco que haviam sido deportados - ou 'autodeportados' - nos anos recentes.

As cinco mulheres e quatro homens tentaram entrar no Arizona em 22 de julho, com pedidos de asilo, mas, como esperavam, ficaram detidos desde então. Seu objetivo era chamar a atenção para a política de deportações do presidente Barack Obama e pressionar a favor de uma reforma migratória.

Na terça-feira, o Departamento de Segurança Interna reconheceu que existe uma "ameaça real" à vida se os nove "dreamers" forem forçados a voltar para o México, país onde nasceram, mas que não conhecem.

A "ameaça real" é um primeiro passo para a obtenção do asilo, disse o porta-voz da Agência de Migração e Alfândega (ICE), Christopher Bentley, nesta quarta. Os jovens "terão de comparecer perante a um juiz de migração que determinará se eles se qualificam, ou não, para o asilo", continuou.

Até o momento, "foram capazes de estabelecer para um agente do ICE que existe uma importante possibilidade de perseguição, ou tortura, se voltarem para seu país de origem". O asilo é um benefício concedido muito raramente a mexicanos, menos ainda para imigrantes que consideram os EUA como seu lar - caso dos "dreamers".

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade