0

Confira declarações sobre Zilda Arns durante velório

15 jan 2010
16h26
atualizado às 19h12
Joyce Carvalho
Direto de Curitiba

O velório da fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, reuniu familiares, amigos, autoridades e religiosos, além de um grande número de pessoas que fizeram fila no Palácio das Araucárias, sede do governo paranaense, em Curitiba. Zilda, 75 anos, era pediatra e morreu na última terça-feira, durante um território no Haiti, após participar de uma palestra em uma igreja da capital Porto Príncipe. Veja as declarações feitas sobre a médica durante o velório:

O corpo de Zilda Arns é velado no Palácio das Araucárias em Curitiba
O corpo de Zilda Arns é velado no Palácio das Araucárias em Curitiba
Foto: Denis Ferreira Netto / Futura Press

Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados - "Zilda Arns é uma pessoa que veio à Terra para dar exemplo. Deu exemplo durante toda sua vida e deu exemplo na hora da morte também."

Roberto Requião, governador do Paraná - "É um testemunho cristão. A vida dela é um exemplo de missão. Como fundadora da pastoral, salvou dezenas de milhares de vidas", disse.

José Serra, governador de São Paulo - "Ninguém individualmente fez mais do que ela. Embora, evidentemente, ela trabalhasse com uma equipe. Além disso, era uma mulher de formação científica e religiosa. Era uma mulher delicada, sempre com sorriso. Era docemente insistente na defesa de sua causa."

Luiz Henrique da Silveira, governador de Santa Catarina - "Santa Catarina vive um momebto de emoção e eu aqui interpreto esse momento. Embora não tenha vivido a maior parte de seu tempo no Estado, dona Zilda era uma mulher que tinha o Estado no coração. Sua obra social se estendeu por nosso Estado de maneira muito forte. Minha presença aqui interpreta nosso sentimento de saudade e de pesar."

Alvaro Dias (PSDB), senador - "Zilda Arns é uma perda irreparável. Nós, que somos do Paraná, que acompanhamos o seu trabalho, desde o primeiro momento, lá em Florestópolis, sabemos que ela salvou muitas vidas. E alguém já disse: quem salva uma vida, salva o mundo. Zilda Arns salvou o mundo várias vezes. Tentando salvar vidas, perdeu a sua vida."

Beto Richa, prefeito de Curitiba - "Podemos sentir nos brasileiros e, em especial na cidade de Curitiba, um momento de muita dor, diante de uma perda irreparável quanto essa, ainda mais na maneira como se deu, de forma trágica, em um país que já vem sofrendo muito com a pobreza e com a guerra. Estaremos organizando em breve alguma homenagem da cidade de Curitiba à doutora Zilda Arns, talvez nominando uma grande obra da cidade com seu nome."

d. Geraldo Majella Agnelo, cardeal - "A gente não sabe nem o que dizer. Eu me lembro, já no dia 12 à noite, passei até a madrugada vendo as primeiras notícias do terremoto. E a gente que conhece aquele povo, aquela situação, de sofrimento constante, já estava sentindo o coração amargurado. E, às 10h de ontem, soube que ela também tinha sido vítima. Vendo a vida da Dra. Zilda, até me fez pensar. Ela viveu para este momento, ela deu a vida por aqueles mais necessitados e ainda por um povo dos mais necessitados e carentes do mundo. Se ela pudesse perceber, ela teria ficado contente de dar à vida naquele lugar e morrer com eles também. Posso atestar de que, desde que a conheci, sempre admirei a Zilda. Desde a primeira hora, em 1983, quando nós começamos a delinear o projeto, eu percebi o entusiasmo que tomou conta dela. Com aquele entusiasmo, ela foi até o fim. Deu sua vida pela causa, pelo amor ao semelhante, pelos mais sofridos."

Clóvis Arns de Castro, sobrinho de Zilda - A melhor maneira de nós todos continuarmos o trabalho dela é colocar um pouquinho mais de solidariedade no nosso dia a dia, no nosso ambiente de trabalho, na família. É a maneira que vamos conseguir um Brasil melhor, um mundo melhor, que foi o sonho dela.

Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade