3 eventos ao vivo

Colômbia: única vítima de acidente aéreo teve parada cardíaca

16 ago 2010
13h11
atualizado às 13h54

A única vítima mortal do acidente com o Boeing 737-700 que, com 131 pessoas a bordo, aparentemente foi atingido por um raio ao aterrissar, morreu devido a uma parada cardíaca, informaram fontes oficiais.

"A Aeronáutica Civil - entidade estatal reguladora do setor na Colômbia - e a companhia aérea Aires, lamentam profundamente a morte de Amar Fernández, 73 anos, que morreu num centro hospitalar por causa de uma parada cardíaca", informa um comunicado divulgado em Bogotá.

Robert Sánchez, diretor do centro médico Caprecom, no arquipélago de San Andrés, explicou aos jornalistas que a passageira saiu com vida do acidente, mas, quando era transferida, sofreu um infarto e faleceu.

O avião comercial partiu-se em três pedaços ao aterrissar em San Andrés, depois de ser atingido por um raio, causando a morte de uma passageira e ferimentos em mais de 120, o que foi classificado de milagre pelas autoridades.

A aeronave da Aires, que fazia a rota Bogotá-San Andrés, foi atingida por um raio em meio a uma forte tempestade tropical, faltando menos de 80 m para tocar em terra, e, ao se chocar com a pista, perdeu os motores e se partiu em três pedaços, segundo a Aeronáutica Civil.

No avião havia quatro passageiros brasileiros que saíram ilesos do acidente.

Pedro Gallardo, governadorde San Andrés, classificou o ocorrido de milagre. "Damos graças ao Todo-Poderoso pelo milagre que concedeu a este belo arquipélago", comentou.

"O comandante, o copiloto e toda a tripulação, graças a Deus, estão a salvo. Estamos na clínica onde um grande número de passageiros foi tratado, todos, absolutamente todos, for de perigo, mas com ferimentos em diversos graus", contou o governador à Rádio Caracol.

A aeronave, um Boeing 737-700 de matrícula HK 4682, partiu de Bogotá e aterrisou em San Andrés duas horas depois, em condições de pouca visibilidade, segundo os controladores de voo da ilha.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade