PUBLICIDADE

Presidente do Zimbábue quer confiscar terras de todos os brancos

10 dez 2011 12h25
| atualizado às 12h45
Publicidade

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, e seu partido, a União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF), pretende confiscar as terras de todos os fazendeiros brancos que permanecem no país para entregá-las aos cidadãos negros, informou neste sábado o jornal estatal The Herald. O Zanu-PF anunciou a proposta em uma conferência do partido que termina neste sábado.

"O departamento de reforma agrária recomendou que as 198 fazendas restantes propriedade de brancos passem a fazer parte da lista de posses a serem reassentadas", diz um relatório do partido. Esta proposta foi imediatamente repudiada pela União de Fazendeiros Comerciais (CFU, na sigla em inglês), liderada por proprietários de terra brancos. A entidade considerou a ideia um "absurdo".

Em 2000, o governo de Mugabe iniciou uma controvertida reforma agrária que confiscou as terras de cerca de 4 mil fazendeiros brancos. "Estão dizendo que, se você é branco, não é bem-vindo? Porque, se é assim, deveriam dizê-lo claramente", disse o presidente da CFU, Charles Taffs, em entrevista por telefone à Agência Efe. "É um complô direto da Zanu-PF para minar a recuperação do Zimbábue". Taffs destacou que o país enfrenta um dos piores déficits de milho dos últimos 100 anos.

Desde 2009, após polêmicas eleições, Mugabe se viu forçado a governar junto a seu rival político, Morgan Tsvangirai, líder do Movimento para a Mudança Democrática, uma coalizão que promoveu certa estabilidade econômica ao Zimbábue após uma década de crise financeira.

EFE   
Publicidade