0

Mulher de Mandela diz que ele às vezes sente dor, mas está bem

Nelson Mandela foi internado no dia 8 de junho em um hospital de Pretória por uma recaída de uma infecção pulmonar

4 jul 2013
08h43
atualizado às 09h16
  • separator
  • comentários

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela "às vezes sente dor", mas "está bem", afirmou nesta quinta-feira sua mulher, Graça Machel, quando seu marido completa 27 dias hospitalizado - os últimos 12 em estado crítico.

Graça Machel disse que Mandela às vezes não se sente bem, às vezes sente dor, mas está bem
Graça Machel disse que Mandela às vezes não se sente bem, às vezes sente dor, mas está bem
Foto: AFP

"Às vezes (Mandela) não se sente bem, às vezes sente dor, mas está bem", disse Machel em um ato do Centro da Memória de Nelson Mandela para a apresentação dos jogos de futebol e rúgbi que o homenagearão dia 17, um dia antes de completar 95 anos.

Como já havia feito antes com um comunicado, a terceira mulher de Madiba - nome do clã de Mandela, com que é conhecido na África do Sul - agradeceu repetidamente a avalanche de mensagens de apoio recebidas de todo o mundo.

Graça destacou "o amor eterno de Madiba pelas crianças", e sugeriu aos sul-africanos que, além de honrá-lo com os presentes que deixam frente ao hospital ou a sua casa, façam doações aos projetos solidários patrocinados por Mandela.

A mulher do líder elogiou Mandela por "unir todos" inclusive da cama do hospital.

O ato, que teve hoje a presença de Graça, abrem a programação de comemoração do aniversário do ex-mandatário, que em 2009 foi declarado pela ONU como "Dia Internacional de Mandela".

Também nesta quinta, o presidente Jacob Zuma visitou Mandela no hospital. Logo depois, o governo divulgou nota dizendo que o líder da luta contra o apartheid continua "em estado crítico, mas estável".

Nelson Mandela foi internado no dia 8 de junho em um hospital de Pretória por uma recaída de uma infecção pulmonar, e seu estado piorou em 23 de junho.

O prêmio Nobel da Paz de 1993 foi eleito um ano depois primeiro presidente negro da África do Sul, nas primeiras eleições com sufrágio universal no país, após ter conseguido desmantelar o regime racista do "apartheid".

Madiba passou mais de 27 anos nas prisões do "apartheid", onde contraiu os problemas pulmonares que se complicaram recentemente.

EFE   
  • separator
  • comentários
publicidade