1 evento ao vivo

Egito declara fracasso em tentativa de mediação e culpa Irmandade

7 ago 2013
07h43
atualizado às 08h24
  • separator
  • 0
  • comentários

A Presidência do Egito afirmou nesta quarta-feira que os esforços internacionais de mediação para encerrar a crise política do país fracassaram, e advertiu que a Irmandade Muçulmana será responsável pelo que descreveu como possíveis consequências.

Em um comunicado, a Presidência instalada pelas Forças Armadas disse que o período dos esforços internacionais que começou há mais de 10 dias terminou hoje. O Estado considerou a Irmandade Muçulmana completamente responsável pelo "fracasso desses esforços e os acontecimentos posteriores e desenvolvimentos que podem resultar deste fracasso", acrescentou.

Os militares derrubaram o presidente Mohamed Mursi em 3 de julho, após manifestações populares que exigiam a renúncia dele. Desde então, partidários do presidente deposto, ligado à Irmandade Muçulmana, realizam protestos e acampamentos pedindo a restauração do mandato de Mursi, primeiro presidente eleito democraticamente na história egípcia.

Centenas de pessoas já morreram em confrontos entre forças de segurança e partidários de Mursi nas últimas semanas. Representantes de Estados Unidos, União Europeia, Catar e Emirados Árabes Unidos pressionavam as partes em confronto a negociar o fim da crise e evitar mais violência.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade