0

Cronologia dos principais ataques terroristas no Quênia desde 1998

21 set 2013
17h46
atualizado às 18h36
  • separator
  • comentários

Após o ataque deste sábado, cometido por rebeldes somalis da Al-Shabab a um shopping center em Nairóbi que deixou ao menos 39 mortos e 150 feridos , segue uma cronologia dos principais atos terroristas no Quênia desde 1998:

Reféns deixam shopping center após fim do ataque dos terroristas na capital do Quênia
Reféns deixam shopping center após fim do ataque dos terroristas na capital do Quênia
Foto: AP

7 de agosto de 1998: um atentado com carro-bomba do lado de fora da embaixada americana em Nairóbi mata 213 pessoas e fere cerca de 5.000. A maioria das vítimas é de pedestres e funcionários de prédios vizinhos. Quarenta e quatro pessoas, inclusive 12 americanos, foram mortos na embaixada. Uma explosão quase simultânea de um caminhão-tanque carregado com explosivos em frente à embaixada americana em Dar es-Salaam, na Tanzânia, mata 11 e fere 70, todos pedestres. A rede Al-Qaeda assume a responsabilidade pelos dois ataques.

28 de novembro de 2002: um ataque com carro-bomba contra um hotel de propriedade de um israelense mata 12 quenianos, três israelenses e três terroristas suicidas perto do porto de Mombasa. Quase simultaneamente, dois mísseis se dirigem a um avião israelense com 261 passageiros a bordo, mas erram o alvo. Posteriormente, a Al-Qaeda assume a autoria dos dois ataques.

11 de junho de 2007: um terrorista suicida é a única vítima de um ataque em Nairóbi que deixa 41 feridos.

13 de junho de 2010: duas explosões durante uma reunião de cristãos evangélicos em Nairóbi matam 6 e ferem quase 80.

20 de dezembro de 2010: três morrem em um ataque com granada contra um ônibus em Nairóbi. A polícia suspeita dos 'Shebab'.

24 de outubro de 2011: ataques com granadas em Nairóbi matam uma pessoa e ferem mais de 30. Investigadores suspeitam de operações dos 'Shebab'.

27 de outubro de 2011: quatro autoridades morrem em um ataque com foguete contra um carro do governo no norte do Quênia, perto na fronteira somali.

24 de novembro de 2011: dois ataques com granadas na cidade de Garissa, no leste do Quênia, perto da fronteira com a Somália, matam três pessoas e ferem 27, segundo a polícia.

1º de janeiro de 2012: cinco morrem em um ataque com granada e um tiroteio em um bar de Garissa.

12 de janeiro de 2012: pelo menos seis pessoas morrem em um ataque contra um posto policial no nordeste do país.

10 de março de 2012: nove pessoas morrem e cerca de 60 ficam feridas em um ataque com granada em um terminal de ônibus de Nairóbi. Os 'Shebab' negam envolvimento.

24 de junho de 2012: três pessoas morrem e dezenas ficam feridas em um ataque em um bar em Mombasa.

1º de julho de 2012: um ataque contra duas igrejas em Garissa mata 18 pessoas e fere 40 perto do campo de refugiados de Dadaab, onde quatro trabalhadores humanitários estrangeiros foram sequestrados em junho e seu motorista queniano, morto. Os trabalhadores foram libertados em 2 de julho.

18 de novembro de 2012: nove pessoas são mortas em um ataque a bomba contra um ônibus no distrito Eastleigh de Nairóbi, apelidado de "Pequena Mogadíscio".

7 de dezembro de 2012: um ataque com granada perto de uma mesquita em Eastleigh deixa cinco mortos.

16 de janeiro de 2013: pelo menos quatro pessoas morrem e seis ficam seriamente feridas em um ataque contra um hotel em Garissa.

3 de março de 2013: doze pessoas, inclusive seis policiais, são mortos em ataques contra forças de segurança no litoral queniano antes das eleições-gerais. O "Conselho Republicano de Mombasa" (MRC, na sigla em inglês), que luta pela secessão da região costeira, majoritariamente muçulmana, é suspeito.

28 de março de 2013: cerca de 100 membros do MRC, segundo a polícia, atacam um cassino em Malindi, um resort à beira-mar ao norte de Mombasa. Sete pessoas morrem.

21 de setembro de 2013: pelo menos 30 pessoas morrem e mais de 60 ficam feridas em ataque dos 'Shebab' contra o shopping center Westgate Mall, em Nairóbi.

AFP   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade